Tecnologia da Informação

A mobilidade tecnológica na otimização dos processos

Escrito por SONDA

O uso de computadores e de soluções de software no ambiente corporativo revolucionou a maneira como as empresas realizam suas atividades. Em poucos anos, a tecnologia evoluiu ao ponto em que profissionais podem trocar mensagens, arquivos e realizar videochamadas com agilidade e segurança máximas. As ferramentas de software corporativo geraram um grande impacto no fluxo operacional de diversas empresas, reduzindo custos ao mesmo tempo em que o nível de produtividade foi às alturas.

Nesse cenário, uma das grandes melhorias promovidas pela tecnologia foi causada pelo aumento da mobilidade tecnológica. Com o auxílio de recursos de computação na nuvem, as corporações conseguem executar suas atividades em mais locais, além de passarem a contar com ambientes de trabalho mais colaborativos. Como consequência, as equipes atuam por meio de uma rotina mais integrada e ágil.

E sua empresa, como lida com a mobilidade tecnológica e seus desafios? Quer saber mais sobre esse tema? Então acompanhe nosso post de hoje!

Em que consiste a mobilidade tecnológica?

Os últimos anos foram marcados pela rápida expansão da computação na nuvem e do poder de processamento de dispositivos móveis — como tablets e smartphones. Com o auxílio da internet móvel de alta velocidade, os serviços baseados na nuvem passaram a ser capazes, em menos de uma década, de enviar e receber informações em grande quantidade para qualquer lugar do mundo.

Para usuários domésticos, a possibilidade de ver conteúdos de mídia e acessar arquivos pessoais diretamente na tela do smartphone tornou a vida mais simples e prática. Já no ambiente corporativo, esses avanços representam a criação de modelos completamente novos de negócio, em que a mobilidade tecnológica assegura mais flexibilidade e capacidade de atender a demandas do mercado. Como consequência, as empresas podem lucrar mais e ser mais eficientes.

Esse conceito pode ser resumido como a capacidade de as empresas terem um fluxo de trabalho com alta integração a plataformas mais flexíveis. Isso pode incluir (mas não se limitar a) adoção de ferramentas baseadas em ambientes de computação na nuvem, políticas de gestão como a Bring Your Own Device (BYOD) e integração de smartphones e tablets nos fluxos de trabalho.

Como consequência, as empresas podem atender a demandas de clientes e parceiros comerciais em mais locais, usando a internet e os aplicativos mobile para obter e modificar informações, registros financeiros e quaisquer outros dados que possam ser relevantes para o fluxo operacional profissional.

Como ajuda as empresas no dia a dia?

A mobilidade tecnológica é uma ideia que vem ganhando força graças à popularização do BYOD e do trabalho remoto, bem como à consolidação do cloud computing como investimento estratégico. As empresas se tornaram capazes de fornecer serviços e permitir que profissionais levassem sua rotina de trabalho para diferentes locais, sempre com segurança e garantindo alta performance. Dessa forma, o fluxo operacional do negócio passa a ter mais flexibilidade e competitividade.

BYOD

Por meio do BYOD, por exemplo, é possível reduzir custos operacionais enquanto os índices de satisfação interna e engajamento de colaboradores se elevam. Isso acontece porque, usando seus dispositivos pessoais, os profissionais tendem a trabalhar com mais agilidade. Além disso, rotinas como as de home office são adotadas sem redução do nível de produtividade.

A longo prazo, o BYOD pode levar a uma maior renovação dos dispositivos computacionais da empresa. Computadores pessoais tendem a ser trocados com mais frequência que os dispositivos corporativos, permitindo que o negócio tenha sempre equipamentos de ponta para assegurar performance máxima. Como consequência, os custos operacionais relacionados à tecnologia são drasticamente reduzidos.

Cloud computing

Ferramentas de cloud computing também são responsáveis por um grande ganho de mobilidade corporativa. O licenciamento de softwares na nuvem dá às equipes acesso a um ambiente de trabalho mais integrado e eficaz. Nesse contexto, informações são compartilhadas com mais agilidade e segurança, reduzindo as chances de arquivos serem infectados por malwares e dando maior controle de acesso aos profissionais.

SaaS

Já modelos de negócio do tipo Software as a Service (SaaS) tornam gastos com TI mais precisos e melhoram os índices de inovação da empresa, que contará sempre com a versão mais recente de suas ferramentas corporativas. Isso terá 2 grandes consequências: ferramentas de trabalho cada vez mais estáveis e redução contínua do número de vulnerabilidades de segurança em softwares internos.

Gestão integrada

Outro ponto a se destacar é a melhora nos processos de tomada de decisão e investimentos da empresa. Ferramentas de gestão integrada, por exemplo, ao serem executadas em ambientes de cloud computing, dão acesso a dados mais precisos em tempo real.

Como consequência dessa mobilidade tecnológica, todos os profissionais podem avaliar como um investimento afeta os lucros da empresa a médio e longo prazos com muito mais certeza, aumentando o retorno de novas tecnologias e ferramentas.

Que vantagens a mobilidade traz?

O investimento em soluções móveis traz grandes benefícios para empresas dos mais variados setores. Um dos principais diz respeito ao ganho de produtividade. Os profissionais poderão dar suporte local a usuários com mais segurança e executar suas atividades em um número maior de ambientes, contando com o poder da internet para acessar dados e sistemas corporativos.

Falhas de segurança são eliminadas com o acesso a ferramentas mais atualizadas. Já o número de erros e gargalos operacionais é reduzido por meio de softwares empresariais que permitem a criação de um fluxo de trabalho mais ágil. As atividades passam a ter um tempo de execução reduzido, uma vez que dados podem ser compartilhados com mais segurança e eficiência.

As políticas de segurança e privacidade são fortalecidas com a migração de processos para a nuvem. Como os dados estarão armazenados em ambientes com maior controle, as chances de terceiros os acessarem, modificarem e capturarem informações são drasticamente reduzidas. Dessa forma, apenas as pessoas certas obterão acesso a dados internos do negócio.

Diante disso, o investimento em políticas de gestão e tecnologias que levem a um cenário em que a empresa possua maior mobilidade tecnológica pode ser visto como um fator estratégico. Afinal, trará um grande impacto nos índices de produtividade, mobilidade e flexibilidade operacional do empreendimento, permitindo que a empresa atenda a mais pessoas e, consequentemente, tenha lucros maiores a médio e longo prazos.

Que ferramentas de mobilidade são essenciais?

De acordo com uma estimativa da Cisco, o tráfego de dados móveis deve crescer 8 vezes até 2020. Outro estudo, dessa vez desenvolvido pela consultoria EMC, revelou que o volume de dados digitais saltou de 166 Exabytes para 988 Exabytes entre 2006 e 2010. Existe ainda a perspectiva de que a geração de dados no planeta alcance o patamar de 40 mil Exabytes até 2020 — o equivalente a 40 trilhões de Gigabytes.

Com esse verdadeiro tsunami de bytes trafegando pelo mundo e a necessidade cada vez mais presente de ter ferramentas de processamento e transformação de dados brutos em informações gerenciais, é simplesmente impossível se manter afastado de soluções que envolvam a mobilidade tecnológica. Conheça agora mesmo algumas delas!

Solução de videoconferência

Em um mundo cujas fronteiras empresariais foram derrubadas pela possibilidade oferecida pela internet de se conquistar clientes e parceiros em todos os pontos da Terra, fazer reuniões in house não faz sentido.

Se você tem uma indústria no Brasil, exporta para a Índia, tem investidores nos Estados Unidos e fornecedores na China, por exemplo, como acha que conseguirá se manter de portas abertas sem uma ferramenta que dê flexibilidade e dinamismo? Hoje, é preciso (e possível) ter a empresa ao alcance das mãos, seja no aeroporto, no trânsito, em casa ou em uma viagem de férias.

Nesse cenário, o negócio precisa ter a possibilidade de fazer reuniões com stakeholders que estejam em diversas regiões geográficas, por exemplo. E isso pode ser feito por meio de uma solução de videoconferência!

Nesse âmbito, as ferramentas mais modernas oferecem recursos como compartilhamento de aplicações e visualização da área de trabalho dos participantes (em tempo real), permitindo a realização de uma reunião de negócios em que um dos convidados está em casa, outro está no hall do aeroporto aguardando um voo e outros, na empresa.

Plataforma de eSignature

Um estudo feito pela Cosign Digital Signature Company mostrou o estudo de caso de uma empresa com 200 funcionários em que cada colaborador assinava, em média, 250 documentos por ano. Os 50 mil documentos assinados manualmente traziam alguns custos anuais teoricamente invisíveis, mas bastante prejudiciais.

Estamos falando de 3 mil dólares referentes a impressões, 12.500 dólares relacionados a escaneamentos e mais de 20 mil dólares com o arquivamento dos documentos. Isso sem falar nas centenas de horas perdidas com a assinatura em si de cada uma das 100 mil folhas firmadas por ano. Será que vale a pena arcar com esse custo do obsoletismo tecnológico?

E enquanto esse cenário se reproduz nas rotinas de muitas organizações, que creditam à crise a causa de suas deficiências tecnológicas, outras companhias, de vanguarda, reduzem custos e aumentam sua produtividade com a implementação de plataformas de assinatura eletrônica e/ou digital.

Essa solução reforça a mobilidade tecnológica na empresa, permitindo, por exemplo, a assinatura de contratos fora do escritório, a emissão de pedidos da equipe comercial diretamente nas visitas aos clientes ou que petições sejam feitas e protocolizadas nos sistemas dos tribunais de justiça a partir de um smartphone.

Digitalização da tramitação de documentos

Trata-se de uma consequência da implantação da solução citada anteriormente. Se sua empresa não assina mais documentos no papel, a necessidade de manter arquivos físicos em sua organização simplesmente deixa de existir, certo? Está aberto aí o caminho para a construção de uma empresa paperless!

Segundo uma pesquisa feita pela PwC, dos 12 meses do ano, 1 é perdido com a procura de documentos. E tem mais: os profissionais ocupam de 5% a 15% do tempo lendo informações, mas até 50% procurando por elas. Isso sem contar que as companhias gastam 20 dólares para arquivar um documento, 120 dólares para encontrá-lo em caso de extravio e outros 220 dólares para sua reconstituição.

A mobilidade tecnológica oferece, por exemplo, a possibilidade de que toda a tramitação de arquivos na empresa seja feita digitalmente. Com isso, a companhia reduz custos administrativos, ganha produtividade e melhora a qualidade da comunicação.

Sistema de geolocalização

O uso da geolocalização é essencial na agricultura de precisão, na análise de produtividade de equipes de campo e na identificação de falhas em processos produtivos. A implantação de sensores em equipamentos e máquinas, além do gerenciamento de equipes por dispositivos móveis, são ferramentas essenciais para transformar uma empresa estática em uma organização dinâmica e flexível.

Internet das Coisas

Fábricas inteligentes, em que chaves de torque (conectadas) recebem informações detalhadas sobre as medidas de cada parafuso na linha de produção, acelerando o processo de montagem. Carros inteligentes, equipados com ferramentas de mobile payment. Frotas com gerenciamento remoto de consumo de combustível. Todos esses fenômenos são efeitos que a mobilidade tecnológica trouxe para o mundo dos negócios a fim de promover a otimização de processos.

Realidade virtual e aumentada

A chance de simular operações com acesso remoto redesenhou os conceitos de treinamento corporativo. As tecnologias em realidade virtual e aumentada ainda permitem a realização de testes exaustivos nos produtos, antes mesmo que eles sejam projetados no mundo real (gêmeo digital). Isso sem falar na possibilidade de os consumidores experimentarem as nuances de um lançamento sem sair de casa — como seria o caso de um test drive com instrumentos de realidade virtual.

Integração de dados empresariais em um software de BI

Com o imenso volume de informações que trafega nas empresas diariamente, não há mais como fazer gestão de dados como se fazia há 15 anos. Atualmente, é preciso integrar resultados de vendas com o controle do estoque, as movimentações do fluxo de caixa com a baixa em balanços e balancetes, os planos estratégicos de marketing com a atuação in loco da equipe comercial e assim por diante.

Mas como fazer tudo isso sem um sistema que seja, no mínimo, responsivo, integrando todos os departamentos e podendo ser visualizado mesmo fora do ambiente da empresa? Muitos desses sistemas ainda têm recursos para geração de relatórios gerenciais e avaliação de métricas diversas. É a era do Business Intelligence (BI), cuja montanha de dados a ser trabalhada exige armazenamento de informações em nuvem.

As soluções em inteligência de negócios já são consequências das facilidades que a mobilidade tecnológica trouxe ao mundo corporativo. E por falar nisso, vale lembrar que as empresas com foco em mobilidadeapresentam ganho de produtividade médio de 320 horas por ano (por funcionário) e são 2,5 vezes superiores na promoção de inovações.

E em sua empresa, como a mobilidade tecnológica tem impactado seus processos? Deixe aqui um comentário compartilhando suas experiências!

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.