Tecnologia da Informação

Backup na nuvem: como funciona e quais são as vantagens?

Escrito por SONDA

Profundamente integrada ao nosso dia a dia, a tecnologia também vem ganhando cada vez mais espaço no ambiente corporativo. Sistemas de TI já fazem parte da rotina de vários negócios, sendo simplesmente cruciais para a atuação estratégica dos profissionais, com alta mobilidade e baixo índice de erros.

Para garantir que os processos ocorram sempre da melhor maneira possível, gestores de TI vêm adotando diversas ações a fim de reduzir os riscos, evitar falhas de acesso e manter os recursos sempre disponíveis.

E é aí que entra o backup de informações, política que tem como objetivo principal criar cópias dos principais sistemas e arquivos do empreendimento. Dessa forma, caso uma falha aconteça, a empresa tem como restaurar seus dados mais importantes com a devida rapidez.

E por mais que as políticas de backup possam usar diferentes mídias para atingir seus objetivos, é a computação na nuvem que garante mais escalabilidade, custos reduzidos e maior disponibilidade.

Quer saber mais sobre o tema e a importância do backup na nuvem para seu negócio? Acompanhe nosso post de hoje para entender como essa ferramenta pode ajudar a tornar sua empresa mais confiável e eficaz!

O funcionamento da computação na nuvem

A computação na nuvem é uma tecnologia estruturada para que empresas possam executar serviços e soluções de TI em servidores remotos. Acessadas via web, tais ferramentas conseguem atingir níveis altíssimos de escalabilidade e disponibilidade quando comparadas a recursos tradicionais.

Em geral, as soluções de cloud computing são estruturadas a partir de 3 princípios de controle: nuvem privada, nuvem pública e nuvem híbrida. Tais modelos se diferenciam pela maneira como os recursos são estruturados, gerenciados e compartilhados entre diferentes usuários. Confira a partir de agora as principais características de cada um!

Nuvem pública

Em ambientes públicos, a computação na nuvem permite que os usuários compartilhem os recursos continuamente. Esse é o modelo mais tradicional de cloud computing do mercado e, em geral, é o que exige o menor investimento. Como os custos de manutenção são divididos entre diferentes clientes, as empresas que atuam nessa área são capazes de oferecer preços mais competitivos.

Na nuvem pública, o usuário não é responsável pela gestão, tampouco pela atualização dos recursos de TI usados para manter a infraestrutura de cloud computing funcionando. Nesse caso, tais rotinas são direcionadas para a empresa que mantém o serviço. Por essas e outras, a integração desse tipo de investimento dentro do ambiente corporativo é mais simples.

Nuvem privada

Como o próprio nome já sugere, a nuvem privada é uma infraestrutura de cloud computing usada e gerenciada por uma única empresa. O negócio pode, assim, definir e controlar todos os recursos da infraestrutura de acordo com suas preferências e normas internas.

Nesse caso, não só o investimento inicial como também os custos de manutenção são maiores se comparados a outros modelos de cloud computing. Quem opta pela cloud privada também é responsável pela troca, manutenção e atualização de dispositivos e softwares. Por outro lado, o nível de personalização é máximo.

Nuvem híbrida

A computação na nuvem em ambientes híbridos é aquela que combina características da nuvem pública e da nuvem privada, o que garante uma boa dose de flexibilidade para o negócio.

Na prática, os serviços de cloud backup podem ser executados em qualquer tipo de infraestrutura de cloud computing. Para o negócio fazer a escolha certa, portanto, precisa saber definir suas metas e, assim, determinar uma estratégia que esteja de acordo com seus objetivos de médio e longo prazos.

Não tem mistério: planejando corretamente seu investimento na nuvem, a empresa conseguirá atingir retorno máximo sobre os recursos aplicados na aquisição do serviço. Dessa forma, o negócio se mantém competitivo e, ao mesmo tempo, altamente confiável.

Da mesma forma que a empresa escolhe seu sistema de armazenamento, é fundamental que saiba escolher também um sistema de backups alinhado com suas estratégias. Tanto em um caso como no outro, fatores como confiabilidade, custos e tipo de mídia escolhido podem causar um grande impacto no sucesso do empreendimento.

A mídia usada, por exemplo, deve ser condizente com o perfil do negócio. Para alguns sistemas de armazenamento, a companhia pode optar por unidades de estado sólido (Solid-State Drives), que oferecem maior velocidade de acesso aos arquivos. Por outro lado, aquelas informações que são modificadas frequentemente podem ser salvas em HDs de alta performance, dada sua maior durabilidade.

No caso dos sistemas de backup, a empresa precisa escolher soluções que sejam capazes de salvar dados com alta confiabilidade, que tenham boa duração e, de preferência, que sejam acessíveis. E esse é o caso do backup na nuvem! Com esse tipo de ferramenta, a companhia tem sempre a certeza de que seus arquivos estão salvos em um ambiente seguro e confiável, protegido por um conjunto de regras e estratégias para evitar erros e falhas de acesso.

O uso de diferentes ferramentas em cloud

A adoção de ferramentas em ambientes de cloud computing é uma estratégia usada por várias empresas em busca de atingir mais performance e competitividade. Seja por dar mais flexibilidade aos empreendimentos ou por criar um ambiente com alta mobilidade, essa tecnologia simplesmente revolucionou a forma como as operações de TI são estruturadas.

No dia a dia, a computação na nuvem diminui prazos e torna todos os setores mais preparados para enfrentar as mudanças do mercado. Com uma operação mais enxuta, a empresa consegue direcionar uma quantidade maior de recursos para a realização de investimentos estratégicos sempre que necessário.

Nesse cenário, diversas ferramentas baseadas na nuvem têm se destacado. Softwares licenciados como serviço, por exemplo, tornam o licenciamento de soluções de TI mais simples e prático. Assim, o negócio passa a pagar apenas pelo número de licenças ativas, reduzindo seus gastos na área. Em troca de cada pagamento, o usuário tem acesso garantido à última versão disponível do software para seu sistema.

Além disso, não há mais a necessidade de gerenciar atualizações, backups e grande parte das configurações administrativas da aplicação, uma vez que tudo será feito pelo prestador de serviços. Esse é o caso de sistemas de gestão integrada e ferramentas de edição de arquivos, executados diretamente no navegador.

Por estarem em um ambiente centralizado, esses recursos promovem uma troca de arquivos mais prática e ágil. Ao mesmo tempo, a companhia pode manter seus funcionários trabalhando com mais flexibilidade — em regimes como de home office.

No caso do backup na nuvem, a companhia ganha acesso a uma aplicação inteligente, que é estruturada para o negócio conseguir manter seus dados sempre a salvo de ataques, falhas operacionais e demais riscos envolvendo uma infraestrutura de TI. Esse tipo de serviço é pensado para a companhia fazer cópias dos arquivos de várias máquinas em um único local, centralizando o armazenamento dos backups.

Dessa forma, a empresa consegue direcionar mais recursos para atividades estratégicas e a gestão dos dados se torna mais simples, além de capaz de cobrir mais fatores em prazos menores. Nesse contexto, gestores de TI podem verificar facilmente a integridade dos dados e, assim, garantir que todos os registros críticos estejam disponíveis sempre que necessário.

A garantia de segurança das informações

O backup na nuvem também é uma forma extremamente eficaz de garantir que os dados do negócio fiquem armazenados em um ambiente seguro. Afinal, infraestruturas de cloud computing possuem uma série de regras de segurança e controle de acesso para reduzir ao máximo as brechas (físicas e virtuais) de tais ambientes. As empresas do ramo conseguem manter sob sua guarda arquivos de um grande número de clientes sem maiores problemas.

Tenha em mente que a segurança das informações deve ser uma preocupação constante desde o momento em que a empresa decide estruturar sua política de backup. Atento às características de cada solução, o negócio deve escolher aquela que melhor se adapte a suas necessidades. E, nesse sentido, o backup na nuvem se destaca por ser uma alternativa que consegue eliminar o impacto de vulnerabilidades locais e, ao mesmo tempo, proteger remotamente as informações de usuários.

Com acesso garantido a um ambiente seguro, a empresa pode reservar para o backup na nuvem seus arquivos mais importantes, sejam dados de vendas, histórico de transações financeiras ou registros de projetos, por exemplo. Qualquer que seja o teor do conteúdo, o material estará a salvo de falhas de segurança, interrupções de serviço e problemas de hardware.

A diferença entre o armazenamento e o backup

Entenda de uma vez por todas: o backup de dados não deve ser visto como armazenamento tradicional de arquivos. É imprescindível que a empresa conheça as diferenças entre os 2 conceitos no momento em que for definir sua política de backup, de forma a direcionar cada cópia para o melhor local possível.

Por sistema de armazenamento podemos definir qualquer tipo de sistema lógico para salvar arquivos usados diariamente. Pode ser, assim, um servidor específico, um Network Attached Storage (NAS) ou mesmo um HD externo para salvar os dados conectados a determinada rede. É nele em que a empresa mantém os dados que serão enviados para o backup na nuvem.

Seja qual for, o sistema de armazenamento é monitorado continuamente para garantir o máximo possível de performance, confiabilidade e segurança ao usuário. É importante que os arquivos estejam acessíveis sempre que necessário, de preferência com bastante rapidez. Além disso, as informações devem sempre ser direcionadas para os destinatários certos, evitando falhas de segurança.

Já o sistema de backup é uma ferramenta lógica feita para salvar as cópias dos arquivos e dos sistemas da companhia. Esse recurso possui um conjunto de regras próprias, feitas para garantir o máximo de disponibilidade e segurança aos dados do negócio.

As rotinas de manutenção de um sistema de backup incluem testes de integridade, monitoramento de recursos e criação de regras de segurança. Por meio dessas estratégias, a companhia garante que as cópias de seus arquivos e sistemas estarão sempre disponíveis, sem se preocupar com backups corrompidos ou modificações por terceiros.

A necessidade de backup constante

Toda empresa que trabalha com um grande conjunto de soluções de TI deve garantir que seus dados e sistemas estejam sempre acessíveis para os profissionais certos. No caso de indisponibilidade dos recursos de TI, o empreendimento passa a ter dificuldades para cumprir acordos comerciais e manter uma rotina operacional de alta performance, o que consequentemente afeta o alcance das suas metas.

Justamente por isso, a empresa deve adotar estratégias para ter uma infraestrutura com alta disponibilidade. E o backup na nuvem apresenta os maiores diferenciais para que o negócio alcance uma rotina de alta performance, agilidade e disponibilidade, permitindo que a empresa restaure rapidamente seus serviços após uma falha, o que diminui drasticamente o impacto causado por qualquer problema.

Mas atenção: para que a política de backup alcance o máximo de performance, é crucial que as cópias sejam feitas regularmente. Sem esse cuidado, o empreendimento simplesmente não terá acesso às versões mais recentes de seus arquivos quando precisar. Diante disso, 2 análises podem ser feitas para que a companhia encontre a frequência ideal para criar seus backups: nível de importância e frequência de alterações.

Nível de importância

O primeiro passo consiste em avaliar quais são os arquivos e sistemas mais importantes para o negócio. Identificando dados críticos, a companhia pode definir uma estratégia inteligente, que priorize o backup de registros que, caso ausentes, causarão um prejuízo maior — como informações de terceiros e histórico de vendas recentes.

Frequência de alterações

O segundo passo é analisar a frequência com que cada informação é modificada. Em alguns casos, um sistema crítico pode ter seus dados básicos alterados com uma recorrência muito menor que arquivos temporários — como é o caso de um cache. A empresa deve saber quando cada registro é modificado a fim de avaliar o intervalo ideal para fazer os backups. Com isso, os usuários sempre encontrarão a versão esperada de determinado arquivo após uma falha.

Os principais benefícios do backup na nuvem

Um dos principais motivos para o backup na nuvem estar se tornando tão popular entre as empresas está aqui, nas diferentes vantagens fornecidas por esse tipo de solução. E tais benefícios não só formam o maior diferencial desse tipo de plataforma como garantem o elevado retorno sobre o investimento típico dessa ferramenta. Confira agora mesmo algumas das maiores vantagens do backup na nuvem!

Aumento exponencial da segurança

O backup de dados em ambientes de cloud computing traz muito mais segurança para o negócio. Isso acontece porque tal estratégia evita diversos fatores negativos existentes nos backups executados localmente, que podem comprometer a eficiência geral da empresa e tornar essa política menos confiável.

Nesse caso, os riscos de as unidades usadas para o armazenamento das informações serem roubadas ou danificadas, por exemplo, caem drasticamente. Afinal de contas, salvando as cópias na nuvem, a companhia contará com um ambiente de alta performance monitorado continuamente para o armazenamento dos seus dados.

Ao mesmo tempo, a computação na nuvem fornece mais confiabilidade para os usuários. Isso porque, com a replicação dos dados em diferentes servidores, por exemplo, o negócio consegue garantir que suas informações estarão sempre disponíveis para acesso.

Além do mais, a maneira como os serviços de cloud computing são estruturados permite que a companhia faça uma gestão dinâmica de suas políticas de segurança e controle de acesso. Com isso, novas regras são facilmente aplicadas a todos os usuários, sem falar na possibilidade de atualizar sistemas de gestão e controle automaticamente, simplificando as rotinas do setor de TI.

Redução significativa de custos

Em relação aos custos operacionais do setor de Tecnologia da Informação, o objetivo deve ser sempre reduzi-los ao máximo. E essa é uma preocupação de qualquer empresa, independentemente do seu ramo de atuação, do porte de suas operações ou mesmo do cenário econômico.

A lógica é simples: como os ativos de TI possuem um alto valor agregado, a companhia deve saber maximizar o custo-benefício de cada aplicação. Isso inclui uma série de estratégias, desde uso de indicadores e monitoramento de recursos e alinhamento de métricas. Além disso, o investimento em ferramentas de melhor custo-benefício aumenta a capacidade de o negócio ter um planejamento financeiro mais eficaz. Esse é o caso do backup na nuvem.

Com essa solução, o empreendimento torna seus gastos com TI mais precisos, evitando assim o desperdício de recursos financeiros. Como consequência, a empresa passa a ter mais verbas para fazer investimentos em outras áreas e se tornar ainda mais competitiva!

Fazendo o backup das informações mais importantes na nuvem, as empresas têm um custo operacional diretamente proporcional ao espaço usado para salvar seus dados. E uma vez que processos de gestão e manutenção são de responsabilidade da companhia que mantém a plataforma, quem contrata o backup na nuvem tem acesso a um serviço que, no geral, tem um custo de aquisição menor que o necessário para criar e gerenciar uma infraestrutura local de servidores.

Garantia de minimização dos riscos

Um dos principais objetivos do backup de dados é reduzir riscos operacionais relacionados à infraestrutura de TI — como perda de informações e dificuldades para recuperar sistemas. Pois saiba: com a escolha pela nuvem, essa política se torna ainda mais eficaz. A cloud computing aumenta a disponibilidade das informações, tornando o backup mais acessível nos momentos mais necessários.

E o melhor: para recuperar as informações de um backup na nuvem, basta estar conectado à internet! Isso permite que um sistema ou dado seja recuperado rapidamente, não necessariamente na máquina em que os serviços foram originalmente executados. O mesmo não acontece em backups locais, que estão sujeitos a problemas e riscos semelhantes aos dos dispositivos em que os sistemas e arquivos são originados.

Nível de escalabilidade operacional

A escalabilidade operacional representa a facilidade com que a empresa consegue aumentar ou reduzir a quantidade de recursos disponíveis para seus usuários. Isso é fundamental para o negócio conseguir responder rapidamente a demandas do mercado e, ao mesmo tempo, manter-se sempre com uma infraestrutura de alta performance, sem grandes gargalos ou falhas operacionais.

A adoção da computação na nuvem como ferramenta de backup de dados traz a essa política mais escalabilidade e performance. Assim, a companhia poderá manter seus sistemas funcionais com a certeza de que sempre terá acesso à quantidade exata de espaço para salvar suas informações mais importantes.

Lembrando que, ao contrário do backup em dispositivos locais, o backup na nuvem pode ter sua capacidade modificada facilmente: bastam alguns cliques para que o gestor de TI altere a quantidade de espaço de armazenamento disponível para os usuários. Dessa forma, as chances de uma cópia não ser feita por pura falta de espaço caem vertiginosamente, gerando mais confiabilidade para as políticas de backup da companhia.

Facilidade para o gerenciamento

Ter uma gestão de TI simples é o sonho de todo gestor. Afinal, quanto mais fáceis de serem executados são os processos da área, menores se tornam as chances de erros acontecerem e maior é a facilidade com que a empresa consegue atingir seus objetivos a médio e longo prazos. Além disso, o tempo para a execução de cada tarefa cai significativamente, ampliando a produtividade geral do time de TI.

A boa notícia é que o backup de dados na nuvem pode desempenhar papel estratégico para tornar as políticas de TI mais simples e dinâmicas. Graças ao modo como a infraestrutura de cloud computing é criada, a companhia consegue modificar suas regras rapidamente, com normas de segurança, privacidade e acesso aplicadas em instantes, assim como atualizações de softwares.

Ao mesmo tempo, modificações nos recursos são feitas automaticamente e, sempre que necessário, a empresa pode adquirir mais espaço para salvar seus dados e manter sua performance. Com isso, o backup de dados se torna mais eficaz e confiável!

Por não precisar se importar com boa parte dos processos de gestão de TI, o backup de dados na nuvem é a solução ideal para companhias que precisam ter mais foco em seus principais processos, gerando mais qualidade e eficiência para as atividades do setor. Ao mesmo tempo, a nuvem fornece mais confiabilidade, disponibilidade e economia para o negócio em geral, pacote fundamental em um mercado cada vez mais competitivo.

Por fim, se você quer saber de outras vantagens da nuvem e como essa tecnologia pode ajudar seu empreendimento a ter mais competitividade e eficiência, entre em contato com um de nossos especialistas!

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.