Gestão de Negócios

Entenda tudo sobre o Big Data

Escrito por SONDA

É verdade que ter boas ideias e uma intuição afiada pode ajudar muito na hora da tomada de decisões. Mas o fato é que uma gestão só será suficientemente inteligente se também considerar e analisar informações consistentes para planejar estratégias cada vez mais precisas.

Já reparou como, na era da tecnologia, é raro encontrar alguém que não esteja grudado no smartphone ou navegando on-line durante as tarefas cotidianas, seja nas redes sociais, em sites de notícias ou e-commerces, por exemplo? E cada uma dessas atividades gera um imenso volume de dados.

Por isso, cada vez mais empresas têm percebido que já não basta manter um pequeno banco de dados convencional. Na verdade, é preciso descobrir como armazenar, interpretar e gerenciar esse turbilhão de informações que só cresce. E é aqui que entra o Big Data! Quer entender tudo sobre o Big Data? Então acompanhe nosso post de hoje!

 

Big Data

Clique no infográfico para ampliar.

Publique esse infográfico no seu site

O que é Big Data?

O termo Big Data nomeia um conjunto de tecnologias, práticas e estratégias utilizadas por companhias para processar, gerenciar e interpretar esse grande volume de dados que é produzido diariamente. Isso quer dizer que o Big Data aproveita as informações geradas por sua empresa e seus clientes para potencializar a tomada de decisões, elevar a produtividade e promover análises estratégicas em tempo real.

O conceito de Big Data tem como base 5 Vs, de volume, velocidade, variedade, veracidade e valor. Aprenda já do que se tratam:

Volume

Como explicamos acima, o Big Data envolve volumes massivos de dados complexos, oriundos de fontes diferentes. Imagine todos os e-mails trocados, as postagens realizadas nas redes sociais e os vídeos enviados ao YouTube diariamente. Unifique isso aos dados internos do negócio, como histórico de vendas: é desse volume de informações que estamos falando.

Velocidade

Para que a estratégia seja eficiente, é preciso que a captação, o armazenamento, o tratamento e a análise dos dados aconteça em tempo hábil — ou até mesmo em tempo real. Em muitos casos, a análise de dados é feita com informações geradas em tempo real (ou em busca de resultados que devem ser entregues com agilidade). Já imaginou como seria se as operadoras de cartão de crédito não conseguissem aprovar uma transação financeira em menos de um dia? 

Variedade

Na prática, nem todos os dados vêm da mesma fonte. Existem os registros estruturados, aqueles que estão armazenados em bancos como Oracle e PostgreSQL, e dados não estruturados, como fotos, vídeos e documentos, por exemplo. Por isso, soluções e ferramentas de Big Data devem ser capazes de processar quaisquer dados, independentemente da fonte, maximizando a sua capacidade de gerar resultados.

Veracidade

Também é fundamental garantir que os dados analisados sejam consistentes e confiáveis. É claro que as ferramentas de Big Data não são capazes de identificar cada notícia falsa que circula pela internet, mas as estatísticas geradas e os padrões identificados a partir dos grandes volumes de dados compensam (e muito) os possíveis erros.

Valor

A informação é, acima de tudo, um patrimônio. Por isso, nenhuma das alternativas anteriores será válida se os resultados finais não compensarem os investimentos iniciais ou se a ferramenta adotada não agregar valor ao negócio. Afinal de contas, o Big Data trata-se de uma tendência em que a companhia buscará, continuamente, agregar valor aos seus serviços, estratégias comerciais e rotinas internas.

Por que aderir?

Até aqui, você já entendeu que as ferramentas de Big Data oferecem análises avançadas, correlações confiáveis entre dados e recursos de pesquisa eficientes, em tempo real. Desse jeito, fica fácil imaginar todas as contribuições da tecnologia para o ambiente corporativo, não acha?

Ao processar e cruzar grandes grupos de informações, é possível entender diversos fatores que impactam na lucratividade da empresa, tais como:

  • as tendências de mercado: o Big Data facilita a antecipação de tendências do mercado, melhorando a forma como a empresa se posiciona diante dos seus concorrentes;
  • o perfil do público alvo do negócio: com o Big Data, gestores podem traçar um perfil bastante apurado dos seus clientes, melhorando estratégias de marketing e suporte ao consumidor;
  • gestão de riscos: o Big Data permite a criação de uma visão holística do negócio, o que torna mais preciso os processos para identificar e prevenir riscos à segurança do empreendimento
  • entrega de produtos: com o Big Data, a empresa pode traçar melhores rotas logísticas, reduzindo os custos relacionados à entrega de mercadorias e os prazos para um item ser entregue ao cliente;
  • otimização de processos internos: avaliando dados coletados em sensores, o gestor consegue, por meio do Big Data, avaliar como a cadeia operacional do negócio está estruturada, eliminando pontos que necessitam de melhoria e avaliando o impacto de políticas operacionais diversas.

A seguir, vamos explicar quais são as duas principais razões para você aderir ao Big Data nos seus negócios. Confira:

Fidelização dos clientes

Até bem recentemente, empresários se baseavam em pesquisas externas, censos demográficos e estimativas gerais para identificar o segmento de mercado ideal para seu investimento e traçar o perfil do cliente. Hoje em dia, com as análises de Big Data, é possível traçar um perfil ainda mais complexo e detalhado de quem é seu público e quais são seus produtos ou serviços preferidos.

Ao analisar o comportamento dos consumidores nas redes sociais, por exemplo, você pode identificar quais são seus hobbies, interesses e características pessoais, de forma a pensar em táticas para suprir essas demandas específicas em tempo hábil.

Além disso, cada vez mais empresários vêm descobrindo o potencial das ferramentas de Big Data para traçar estratégias de marketing mais eficientes, especialmente no meio on-line. Isso porque, conhecendo o perfil do seu cliente e o ambiente da campanha em detalhes, fica mais fácil determinar o melhor momento para começá-la, em quais meios investir e qual é a melhor maneira de fazê-lo.

Tomada de decisões

Não é segredo nenhum que informações de qualidade são fundamentais na hora de fazer um planejamento estratégico. Pois esse é justamente o foco das ferramentas de Big Data: processar grandes quantidades de dados e identificar padrões para contribuir com uma tomada de decisões mais precisa e assertiva.

E é muito mais fácil tomar decisões estratégicas uma vez que você já conhece seu segmento de mercado e o perfil detalhado dos clientes, certo? Além de representar uma vantagem competitiva em relação aos concorrentes, o Big Data ainda fornece uma visão ampla do mercado em que você atua, indicando possíveis tendências futuras, preços praticados pela concorrência e promoções em destaque, por exemplo.

Mas não se esqueça: o Big Data também serve para conhecer os processos e sistemas internos da sua empresa! Dessa forma, a partir dos padrões de comportamento registrados, é possível mapear vulnerabilidades e prevenir ameaças à segurança dos seus negócios antes que elas aconteçam novamente.

Como o Big Data está sendo utilizado pelo mercado corporativo

Em função da sua flexibilidade, o Big Data pode ser adotado por empresas de vários ramos. Essa tendência está colocando companhias em um novo patamar estratégico, simplificando rotinas e maximizando os lucros de médio e longo prazo. Confira abaixo como alguns setores utilizam essa forma de analisar informações no dia a dia!

Turismo

Um das características do setor de turismo é o fato desse perfil de negócio lidar com diferentes perfis de consumidores diariamente. E garantir que todos tenham uma ótima experiência, gestores investem pesado em tecnologias e ferramentas para otimizar os seus serviços da forma correta.

Nesse contexto, o Big Data possui um papel chave. A análise de dados facilita a preparação do negócio para a sazonalidade de clientes, mudanças no mercado ou na realização de investimentos estratégicos.

Tais informações serão utilizadas para que a empresa possa preparar-se melhor, criando serviços competitivos e de boa qualidade. Assim, antes de mudanças ocorram, a companhia estará preparada para atuar rapidamente.

Saúde

Para o setor de saúde, o Big Data pode causar um grande impacto. No ambiente hospitalar, por exemplo, essa tecnologia auxilia instituições de saúde a reduzirem falhas, tornar diagnósticos mais precisos e ampliar a capacidade de atendimento a clientes.

Durante o atendimento a um paciente, o médico consegue utilizar softwares criados a partir da análise de dados para gerar um diagnóstico mais preciso. É possível, por exemplo, cruzar imagens de uma mancha na pele com milhões de outras fotografia para detectar se uma pessoa possui alguma doença específica. Assim, as chances de um diagnóstico errado são reduzidas ao máximo.

Ao mesmo tempo, a otimização dos serviços de saúde também é beneficiada pelo Big Data. O hospital ou a clínica médica pode cruzar dados sobre registros de pacientes, planos de saúde e histórico de diagnósticos para preparar investimentos com maior precisão e retorno. Dessa forma, a instituição consegue preparar-se para sempre fazer o melhor uso de seus recursos, reduzindo custos, erros e falhas operacionais.

Instituições públicas

Governos de todo o planeta estão confiando na tecnologia para atingir melhores resultados e buscar novas formas de utilizar os recursos públicos. Hoje, a administração pública é moderna, utilizando dados de forma estratégica e, assim, identificando como toda a sociedade pode ser beneficiada por novos gastos com o uso do Big Data e da análise de dados.

Graças ao uso do Big Data, governantes criam uma visão abrangente sobre todos os aspectos da administração pública. É possível avaliar o impacto de cada política governamental utilizando diferentes fatores, que vão do tempo médio de entrega de um novo prédio ao tipo de cidadão que será atingido por uma política pública. Isso evita que gastos desnecessários sejam mantidos e abre espaço para investimentos mais inteligentes.

Ao mesmo tempo, o governo consegue avaliar como vários investimentos podem impactar na vida das pessoas. Assim, as políticas públicas e orçamentárias passam a ter um maior valor agregado, impactando positivamente na vida de todos os cidadãos.

Varejo

O varejo é um setor com grande concorrência e que muda rapidamente. Para adaptar-se às exigências dos consumidores, empresas precisam otimizar os seus serviços com alta velocidade, seja por meio da previsão de tendências do mercado ou criando estratégias mais flexíveis.

Hoje, é necessário que toda as operações do setor atuem de forma estratégica, reduzindo o desperdício de recursos, integrando times e criando novas formas de solucionar problemas. E nesse sentido, o Big Data possui um papel estratégico.

A análise de dados pode ser utilizada, por exemplo, na área de logística. Cruzando informações sobre o trânsito em tempo real, empresas conseguem encontrar as melhores rotas para entregar mercadorias, reduzindo custos e prazos. Além disso, será possível avaliar como recursos são utilizados, melhorando as políticas de manutenção de equipamentos.

A criação de produtos e estratégias de mercado também é beneficiada. O Big Data permite que empresas consigam avaliar como clientes recebem novas mercadorias e serviços processando milhões de posts em redes sociais. Assim, a empresa consegue compreender o seu mercado de atuação e, com uma visão holística do seu posicionamento, avaliar a melhor forma de gerar vendas

Caminho para o futuro

O Big Data é um conceito novo, mas que está em plena expansão e pode ser aplicado em organizações de qualquer setor — como nas áreas da tecnologia, saúde, ciência, finanças e varejo, por exemplo. Em outras palavras: onde houver dados, é possível aplicar o Big Data para gerar insights e otimizar processos!

Para o futuro, a tendência é que o volume de dados aumente cada vez mais. Com a ascensão da Internet das Coisas, por exemplo, é provável que eletrodomésticos, meios de transporte e até mesmo objetos pessoais estejam continuamente conectados à internet. Isso exigirá de empresas a criação de uma nova forma de atuar: negócios deverão responder com agilidade às mudanças do mercado, reduzindo prazos e atendendo a um público maior em prazos menores.

E nesse cenário, o Big Data será a peça chave de um processo de gestão inteligente, conectado e com times atuando de forma colaborativa. Gestores terão processos de tomada de decisão mais eficazes, capazes de gerar maior retorno e lucratividade para a empresa. Dessa forma, a empresa garantirá a sua capacidade de manter-se continuamente competitiva.

Que tal aproveitar essa tendência e garantir uma vantagem competitiva em relação à concorrência?

E se você quer continuar sabendo tudo sobre o Big Data, aproveite para assinar a nossa newsletter e receba as últimas atualizações sobre o tema diretamente no seu e-mail!

 

 

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.

Deixar comentário.

Share This
Navegação