Gestão de Negócios

Como o compliance em TI pode mudar sua empresa?

Escrito por SONDA

Você sabe o papel que uma política de compliance pode ter no ambiente corporativo? As políticas utilizadas para que empresas possam ter processos padronizados e em conformidade com normas locais são cruciais para manter a organização competitiva. Por meio delas, colaboradores podem traçar estratégias mais robustas, que estão livres de multas e problemas legais. Quer saber mais sobre o tema e como criar uma política de compliance em TI eficaz com o apoio da tecnologia?

No post de hoje, tratamos sobre o assunto. Acompanhe e fique por dentro!

O que é uma política de compliance?

As políticas de compliance são um conjunto de estratégias utilizadas por empresas para alinhar os seus processos, produtos e serviços conforme as leis, normas e códigos organizacionais dos mercados em que atuam.

Além disso, tais políticas podem ser utilizadas para que a empresa possa incorporar princípios de gestão e governança de sucesso e que são exigidos por clientes e parceiros comerciais. Dessa forma, toda empresa poderá trabalhar dentro de um rígido padrão ético e de qualidade.

Uma política de compliance corporativo pode abranger uma série de normas. É comum que empresas incorporem a essa documentação normas de segurança da informação, a legislação ambiental do mercado, normas de órgãos regulatórios e de trabalho. Além disso, uma política de compliance também pode envolver o Código de Defesa do Consumidor, as principais normas de qualidade do mercado (como a ISO) e padrões éticos.

Como a política de compliance torna a empresa mais eficaz?

A política de compliance tem um papel estratégico no ambiente corporativo. Ela auxilia empresas a terem um conjunto de rotinas e serviços alinhados com as principais normas e padrões do mercado. Isso trará mais competitividade para o negócio, uma vez que o nível de qualidade dos seus produtos e serviços será elevado.

Porém, o compliance vai muito além de uma forma de criar uma cadeia operacional com mais qualidade. Ele é uma questão ética, relacionada ao cumprimento de normas e leis voltadas para garantir mais segurança ao consumidor e parceiros comerciais.

E, para a organização, manter rotinas alinhadas com tais regulações traz segurança jurídica para os seus serviços, uma vez que as chances de o empreendimento ser multado ou enfrentar problemas legais serão muito menores.

Com o apoio de um bom conjunto de normas de compliance, a empresa evita que condutas indesejadas tornem-se um padrão no ambiente corporativo. A companhia terá uma série de mecanismos para prevenir, controlar e identificar qualquer violação de normas internas e do seu mercado de atuação.

E se a empresa tem mais controle sobre o modo como os seus processos são executados, o empreendimento pode criar uma cultura corporativa de alta qualidade. Isso influenciará diretamente na competitividade da companhia, que poderá atingir clientes e parceiros comerciais com serviços e produtos mais confiáveis e bem estruturados.

Quais soluções de TI podem ser utilizadas para melhorar processos de compliance?

A criação de regras de compliance pode contar com o apoio de ferramentas de TI. Bem estruturadas, elas conseguem ampliar o controle que gestores têm sobre os processos internos, dar mais integridade para os dados da empresa e evitar problemas de segurança.

A computação na nuvem, por exemplo, permite que softwares legados sejam utilizados sem um alto risco de segurança. Dessa forma, os usuários conseguirão manter a sua rotina sem que a integridade de suas informações seja comprometida.

Já as ferramentas de monitoramento e segurança digital desempenham um papel-chave para que a empresa consiga manter uma rotina de trabalho mais flexível sem ser afetada por ameaças digitais. O negócio conseguirá incorporar serviços de outsourcing e políticas, como as de BYOD e home office, sem que novas vulnerabilidades sejam criadas.

Tais soluções também dão mais controle ao gestor. Ele pode definir normas de acesso a recursos, verificar se contas de usuários estão comprometidas e rastrear vulnerabilidades de uma maneira muito mais eficaz. Dessa forma, o empreendimento poderá aplicar regras de controle e otimização mais inteligentes e precisas.

Com o apoio de softwares de gestão, a empresa terá um ambiente centralizado para manter os seus dados mais importantes. Nesse sentido, o ERP funciona como um investimento estratégico: a empresa terá um ambiente centralizado para troca de informações sigilosas sem comprometer a sua segurança digital.

Em outras palavras, o compliance pode ter, na tecnologia, uma parceira estratégica. Por meio do investimento em soluções mais inteligentes e alinhadas com o perfil do negócio, o gestor consegue aplicar normas mais abrangentes e ter um controle elevado sobre cada rotina interna. Assim, erros, fraudes e demais problemas serão evitados com mais eficácia e qualidade.

Como se dá a aplicação do compliance em TI?

A tecnologia tem se tornado um dos setores mais importantes do ambiente corporativo. E em função da quantidade de informações e processos que estão diretamente relacionados com soluções tecnológicas, a ampliação de normas de compliance em TI tornou-se algo obrigatório para companhias de vários setores.

Uma política de compliance em TI é caracterizada pela sua abrangência. Quanto maior a presença da tecnologia no dia a dia do negócio, maior o número de processos e fatores que estarão incluídos nas normas de controle internas. Segurança de dados, integridade da informação, controles de acesso, monitoramento de usuários e regras de privacidade são alguns dos vários fatores que envolvem a busca por mais qualidade e confiabilidade para a infraestrutura de TI.

Em outras palavras, a aplicação de normas de compliance em TI seguirá os mesmos princípios do compliance em outras áreas (a busca por mais segurança jurídica, conformidade com padrões de mercado e confiabilidade de serviços).

E, para atingir esse objetivo, processos de tomada de decisão, rotinas de investimento, normas de segurança e monitoramento serão estruturados para evitar ataques, vazamentos de dados e demais fatores que contribuam para a queda da confiabilidade dos serviços da área. Dessa forma, a tecnologia poderá ser um fator de destaque no ambiente corporativo e não apenas uma fonte de preocupação para gestores.

Ao aplicar normas de compliance em TI, a empresa também deve estar atenta aos métodos de licenciamento de software. Evitar a aquisição de soluções de TI pirateadas é um ponto-chave para que o empreendimento consiga atingir melhores resultados, evitar multas e o vazamento de dados. Confira como a pirataria de software pode comprometer o seu negócio!

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.