Tecnologia da Informação

Como a computação cognitiva pode ajudar sua empresa?

Escrito por SONDA

Um aplicativo que o convida para digitar seus ingredientes preferidos e, em poucos segundos, lhe oferece um imenso rol de receitas com suas preferências culinárias; um supercomputador especializado em oncologia, que recomenda processos terapêuticos a partir do cruzamento de estudos da literatura médica com dados clínicos/genéticos de cada paciente: parece filme do Spielberg, não é mesmo? Mas não, é apenas o mundo em que você vive, em plena era da computação cognitiva.

Aliás, o que dizer então de um robô juiz, que tem em sua memória simplesmente toda a legislação, doutrina e jurisprudência de um país, sendo capaz, portanto, de julgar ações em grande volume e de emitir sentenças em poucos segundos? Ou de um sistema habilitado para investigar crimes virtuais, desvendando em tempo real casos que antes demorariam meses?

Não importa qual seu ramo empresarial: a computação cognitiva torna sua empresa mais ágil, estratégica e com raciocínio mais rápido e preciso, posicionando-a em um nível de criatividade impossível de ser alcançado pelos seus concorrentes analógicos (que ainda usam o computador apenas como repositório de informações).

Hoje você vai compreender como a computação cognitiva pode reinventar seu modelo de negócios!

O mundo na era da Indústria 4.0

A incrível capacidade das máquinas atuais de resolver problemas de alta complexidade abre portas para que a humanidade consiga desvendar enigmas seculares de imenso impacto social, como cura do câncer, solução para crises hídricas, aumento exponencial da produção agrícola, elevação da expectativa de vida, entre tantos outros desafios do nosso planeta.

Nesse período de carros autônomos e mobile payment, o que está em jogo é muito mais do que dispositivos inteligentes: o mundo está às portas de um profundo processo de ressignificação, em que uma espécie de sistema operacional social formará as bases de uma sociedade inteiramente conectada, na qual máquinas e seres humanos trabalharão juntos em direção a uma nova dinâmica de coexistência.

Evidentemente, esse caminho impacta empresas de todos os portes e setores. Seguindo a lógica evolutiva do mercado, quem não se adaptar tende a ser gradualmente eliminado do processo concorrencial.

O que é computação cognitiva

Cognição é o processo mental que permite aquisição do conhecimento a partir das informações capturadas pelos sentidos, fenômeno próximo do que ocorre com os sistemas computacionais projetados na atualidade.

A expressão “computação cognitiva” se apoia em conceitos como Big Data, Internet das Coisas e redes neurais para explicar uma nova era computacional em que sistemas interagem com seres humanos por meio de linguagem natural. Ao serem estimuladas, essas máquinas “raciocinam” por meio de um complexo processo de cruzamento de dados, oferecendo-nos, por fim, respostas precisas aos problemas apresentados.

Estamos falando de sistemas de inigualável capacidade de aprendizagem contínua, com altíssima velocidade de processamento de informações e capacidade de geração de insights semelhante ao pensamento humano — só que mais eficiente.

Essas ferramentas inéditas impulsionam o surgimento de novas profissões, como engenheiro de Internet das Coisas, ciberpolicial, nanomédico, Chief Data Officer etc. E nesse efeito dominó, novos modelos de negócio também surgirão. Então, que tal preparar seus colaboradores para a transformação digital?

Como usar a computação cognitiva com os colaboradores

Recrutamento e seleção

Quem trabalha na área de Gestão de Pessoas sabe o quanto é difícil fazer o mapeamento das competências de um profissional e, a olho nu, sentenciar em uma dinâmica de grupo quem tem maior potencial de agregar valor à empresa.

Na prática, os gestores da área de pessoal (ou as empresas de RH contratadas para tal finalidade) devem ser capazes de identificar uma infinidade de traços, comportamentos e competências, cruzando tudo isso com a descrição do cargo de forma precisa (o que, evidentemente, não acontece).

O resultado dessa subjetividade é o registro de altas taxas de turnover (rotatividade), perda de produtividade e reiterados gastos com seleção.

E se a empresa tivesse um sistema apto a realizar esse mapeamento em cada pretenso colaborador, ligando toda essa teia de variáveis às especificidades de cada cargo? Qual o preço de ter sempre o melhor profissional possível no melhor posto possível às suas qualidades?

Aumento de vendas mediante maior conhecimento do mercado/cliente

Na era dos negócios digitais, dados todos têm. A grande dificuldade hoje em dia é conseguir transformar esses dados brutos em informações gerenciais. Os novos recursos digitais centralizados em machine learning (aprendizado de máquina) conseguem capturar dados dos clientes a partir de diversas fontes (SAC, redes sociais, frequência de consumo), convertendo esses rastros não estruturados em insights poderosos.

Com isso, é possível entender melhor qual seu target e, dessa forma, construir uma abordagem mais certeira durante as etapas do funil de vendas, além de criar produtos mais alinhados às necessidades de seus consumidores. Isso vai transformar sua equipe em um time comercial de primeira linha, com maior produtividade e resultados mais sólidos.

Treinamento e desenvolvimento

A área de T&D (Treinamento e Desenvolvimento) lida com uma miríade de dados, cuja excelência no manuseio costuma ser a linha tênue entre um investimento com alto retorno à organização, de outro que nada agregou.

Até 2014, estimativas sinalizavam que as empresas brasileiras gastavam cerca de R$ 10 bilhões anuais em educação corporativa, sendo que metade desse valor se destinava à contratação de consultorias. O problema é que muito desse investimento escorre pelo ralo justamente pela falta de personalização do conteúdo transmitido.

Pouco adianta contratar empresas que ministrarão palestras e treinamentos genéricos, dado que cada profissional tem suas próprias dificuldades e limitações. Um investimento de excelência em educação corporativa deveria ser absolutamente personalizado, diferente a cada membro da corporação. Parece impossível? Não na era da computação cognitiva.

Já existem soluções baseadas em aprendizado de máquina que, por meio de entrevistas eletrônicas e cruzamento de dados de avaliações de desempenho anteriores, formulam planos de aprimoramento profissional específicos para cada um.

É possível, inclusive, combinar essa com outras tecnologias (como realidade virtual/aumentada), a fim de simular cenários próprios do ambiente corporativo (como reunião com fornecedores ou investigação de soluções para melhoria em produtos).

Inteligência Artificial e seus benefícios aos funcionários

Diante de tudo o que você acabou de ver, fica fácil imaginar as vantagens que esse tipo de tecnologia pode trazer aos funcionários. Veja algumas abaixo.

Melhora no clima organizacional

Os chatbots, por exemplo, podem desafogar sua equipe de atendimento telefônico, possibilitando à empresa concentrar esforços em serviços mais profundos de Customer Success (CS).

O mesmo se aplica aos assistentes pessoais virtuais (VPAs), que podem ser usados em qualquer companhia (de escritórios contábeis a varejistas) para realizar cálculos financeiros, agendamento de reuniões, organização de arquivos digitais etc. Tudo isso colabora para a melhora do clima organizacional em sua corporação.

Redução de erros

Quanto mais intensas forem as automatizações, menores serão as chances de erros humanos. Por mais capacitada e numerosa que seja sua equipe fiscal, por exemplo, não há como comparar sua eficiência com a de um sistema capaz de realizar cálculos tributários em tempo real.

Maior autonomia aos colaboradores

A segurança de ter sistemas inteligentes para auxiliar os colaboradores em suas decisões diárias tende a fazer com que os gestores confiram maior independência aos seus profissionais para lidar com os desafios do dia a dia corporativo, algo que, evidentemente, também eleva o nível de satisfação na empresa.

Compartilhe nosso conteúdo nas redes sociais e alerte seus contatos sobre a urgência em adaptar a infraestrutura de TI de suas empresas ao furacão da computação cognitiva! Até a próxima!

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.