Gestão de Negócios

Conheça as diferenças entre segurança de TI e segurança da informação

Escrito por SONDA

Em pleno século da informação, a importância que as empresas dão à proteção de seus dados não é sem razão. Pense bem: já que, atualmente, boa parte dos processos corporativos é armazenada e processada em ambientes digitais, implantar soluções de segurança de TI se torna cada vez mais indispensável!

Na prática, porém, os conceitos de segurança de TI e de segurança da informação muitas vezes acabam se confundindo. Antes de mais nada, portanto, é fundamental compreender bem tanto um quanto o outro para que os recursos da instituição sejam alocados da melhor forma possível.

Pensando nisso é que resolvemos preparar este post para ajudá-lo a entender as diferenças entre essas práticas, aproveitando para apresentar as principais medidas de segurança de TI a serem implantadas na sua companhia. Confira!

O que é segurança da informação?

A TI lida com diversos tipos de tecnologias usadas no tratamento das informações, certo? Mas, de fato, as informações podem ser gerenciadas de outras formas, sem necessariamente se valerem da tecnologia. E é aí que está a principal diferença entre segurança de TI e segurança da informação.

A verdade é que nem todos os registros são armazenados em formato digital. Ao realizar uma reunião, por exemplo, a respectiva ata pode ser redigida em um caderno físico. Da mesma forma, ao fechar negócios, a empresa pode redigir contratos assinados em papel e arquivá-los manualmente.

Como esses documentos também precisam ser protegidos, são regidos por políticas de segurança da informação que estabelecem as melhores práticas e os devidos procedimentos no tratamento desses registros. E isso vale tanto para o formato digital quanto para o físico, ok? Essas práticas englobam:

  • prevenir e combater ataques virtuais;
  • detectar e corrigir vulnerabilidades nos ativos de TI;
  • proteger informações armazenadas virtualmente;
  • estabelecer diretrizes para o gerenciamento de informações;
  • gerenciar o acesso de pessoas aos dados corporativos.

Cabe ressaltar que todas essas medidas são baseadas nos 3 princípios fundamentais da segurança da informação. São eles:

  1. confidencialidade: assegurar o sigilo das informações;
  2. integridade: garantir a inteireza e a sobrevivência dos dados;
  3. disponibilidade: certificar-se de que as informações estarão disponíveis sempre que usuários autorizados precisarem.

Assim, a segurança da informação abarca não somente os dados em si e seus meios de armazenamento, mas as políticas de gerenciamento e os usuários. Não se restringe, portanto, a sistemas de informática e seus componentes!

E o que é segurança de TI?

Ao migrarmos para o plano virtual, a abstração dos dados automaticamente torna o processo mais delicado. Nesse momento entram as medidas específicas direcionadas à segurança de TI. Aqui, a principal preocupação está no gerenciamento da infraestrutura de tecnologia, incluindo:

  • sistemas de banco de dados;
  • data centers;
  • provedores;
  • componentes de hardware;
  • computadores, notebooks e outros dispositivos.

Concluímos, então, que o conceito de segurança da informação é mais amplo, indo além do mundo digital. Apesar disso, já que boa parte das informações trafega ou é gerenciada por meios eletrônicos, é natural haver uma fusão das 2 ideias. E é exatamente por isso que a segurança de TI merece uma atenção especial. Quer saber quais são as melhores práticas para manter a integridade dos dados? Pois é o que veremos agora!

Como proteger sua empresa?

Apesar de cada companhia ter necessidades específicas, existem certas práticas que devem ser adotadas por todas, uma vez que são procedimentos básicos da segurança de TI. Observe!

Monitore o registro de logins

Por mais que o uso de login e senha para controlar o acesso ao sistema seja um dos meios mais antigos de proteção digital, ainda é bastante utilizado até hoje. O problema é que, para invadir qualquer rede corporativa, cibercriminosos podem usar programas que testam milhões de combinações de letras, números e outros caracteres até finalmente conseguir.

É claro que os usuários devem ser conscientizados para escolher senhas fortes, a fim de dificultar a ação de hackers. De toda forma, no entanto, é necessário que a equipe de TI monitore acessos e falhas de login. Afinal, erros de autenticação ou logins bem-sucedidos em horários fora do comum podem ser evidências da ação de criminosos.

Analise arquivos desconhecidos

Uma varredura no sistema pode alertar sobre a presença de arquivos pesados, com extensões incomuns ou desconhecidas. Esses documentos podem ter sido criados por invasores, que armazenam dados roubados da rede dessa forma para, mais tarde, poderem extraí-los sem que sejam notados. Nesse caso, usar softwares de gerenciamento de arquivos pode ser útil para encontrar e analisar tais ocorrências.

Proteja os servidores

Os servidores corporativos armazenam informações importantes, desde aplicações em sistemas até banco de dados. Torna-se indispensável, assim, proteger esses equipamentos.

No entanto, devido ao intenso tráfego e ao nível de energia requerido pelo servidor, as ferramentas de segurança devem saber aproveitar de forma inteligente os recursos do hardware. Essas soluções devem prover proteção integral contra malwares, em modelos proativos de detecção em tempo real, consumindo o mínimo possível dos recursos do sistema.

Defina soluções de segurança de e-mail

O e-mail ainda é um meio extremamente importante de difusão de ameaças digitais. Por isso, sua proteção jamais deve ser negligenciada. Uma das principais formas de ataque pelo correio eletrônico é o phishing: mensagens de sites falsos que tentam roubar dados dos usuários. Além disso, arquivos infectados podem ser compartilhados em anexos ou por meio de links.

Mas atenção: ao usar gerenciadores de e-mail instalados na máquina, é necessário tomar algumas precauções. São elas:

  • permitir que somente dispositivos autorizados acessem o e-mail da empresa;
  • fornecer proteção ao conteúdo e aos anexos do e-mail;
  • instalar firewalls para evitar a invasão de hackers pelo servidor de e-mail;
  • usar filtros contra spam nas mensagens recebidas e enviadas.

Além disso, também é vital definir políticas de orientação a usuários sobre boas práticas no gerenciamento de e-mails, independentemente se as mensagens são gerenciadas localmente, via software, ou em modelos de cloud computing.

Faça backups regulares

O backup é um procedimento básico de segurança para qualquer instituição, devendo ser realizado com todos os arquivos importantes. O recomendado é reservar no mínimo 10 cópias de arquivos passados e uma dos dados atuais. E também é importante que esse procedimento seja automatizado e repetido diária, semanal ou mensalmente, de acordo com o volume de dados e as necessidades da empresa.

Na era da informação, manter a segurança dos dispositivos responsáveis pelo processamento e pelo armazenamento dos dados é indispensável para manter a reputação e a saúde financeira de qualquer organização. Então busque sempre as melhores práticas e mantenha sua empresa na linha de frente da segurança de TI!

Quer saber mais sobre como podemos ajudar a manter seus dados corporativos sempre seguros? Entre em contato conosco para tirar todas as suas dúvidas! 

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.