Gestão de Negócios

Entenda a aplicação do data mining nas estratégias de marketing

Escrito por SONDA

Como vai seu café? Pois a Starbucks, maior rede de cafeterias do planeta, tem essa resposta na ponta da língua. A empresa apoia suas estratégias de negócio na realização de profundas análises demográficas, tudo a partir de data mining. O propósito é subsidiar decisões sobre propagandas publicitárias e abertura de novas unidades. Assim, antes de inaugurar uma filial, a rede cruza informações sobre o perfil de quem circula pela área, o tráfego de veículos, a infraestrutura de transporte público local e o potencial de consumo dos transeuntes. Só depois de todo esse trabalho com Big Data Analytics é que a administração define se vale ou não a pena abrir uma franquia por lá.

Essa expertise em análise de dados explica por que a marca possui os consumidores mais engajados do mundo: são cerca de 6 milhões registrados no mundo, sendo que 3 milhões desses já foram meticulosamente mapeados. Ter consciência plena do seu público permite à Starbucks não apenas desenvolver campanhas publicitárias segmentadas e veiculadas no melhor horário possível como possibilita o lançamento de descontos e produtos personalizados.

Escolhemos falar aqui de café, mas, na verdade, poderíamos ter tratado de telefonia, vestuário ou mesmo TI. É isso mesmo: sua empresa pode sim se beneficiar! Melhor procurar entender como aplicar a mineração de dados em suas estratégias de marketing, não acha? Basta continuar acompanhando!

Entendendo o data mining

Data mining é o nome dado ao processo de análise de grandes volumes de dados, de diferentes perspectivas e sumarização. O objetivo por trás disso é encontrar padrões sólidos ou relacionamentos sistemáticos que representem informações valiosas às organizações. Trata-se de tabular montanhas de dados brutos para gerar inteligência de negócios às empresas, mediante o uso de dispositivos com alta capacidade de armazenamento e processamento de dados. Entendido isso, veja agora algumas de suas utilidades nas ações de marketing!

Analisando o comportamento do público

De acordo com um estudo divulgado pela Revista Forbes, a análise do comportamento do consumidor representa 48% do uso do data mining nas empresas. Para você ter uma ideia melhor, que tal conhecer alguns casos de sucesso?

Em parceria com uma empresa do setor de TI, a Nike desenvolveu há alguns anos um app que pode ser fixado nas roupas de seus clientes durante a prática de running. Esse dispositivo vestível capta a frequência cardíaca, a velocidade média e a quantidade de passos, além da distância percorrida. A gigante mundial de materiais esportivos desenvolveu também uma campanha para mover seus clientes a postar os dados obtidos nas redes sociais. O estímulo à competição entre amigos fez com que esse compartilhamento se tornasse uma febre, abrindo as portas para a possibilidade de usar as informações obtidas para criar produtos mais alinhados ao perfil dos consumidores.

Outro exemplo vem de uma rede de supermercados do Brasil que, desde 2015, usa sistemas inteligentes para mapear os clientes cadastrados que andam sumidos. Após o mapeamento e com a ajuda de algoritmos, os sistemas cruzam terabytes de dados no intuito de diagnosticar os produtos favoritos de cada um dos listados. Essas etapas precedem o disparo de cupons personalizados. Imagine receber um cupom dando 70% de desconto na compra da sua cerveja preferida! Tal estratégia de marketing com uso de Big Data explica os bons resultados da varejista nos últimos anos, mesmo diante da crise.

Antecipando demandas

A companhia aérea norte-americana Delta Airlines entendeu bem os benefícios da mineração de dados para se antecipar a eventuais problemas com extravios de bagagens. Usando sistemas de alta capacidade de processamento de dados e tendo substituído os antigos códigos de barras por chips com identificação por radiofrequência (RFID) nas malas dos viajantes, não é mais necessário escanear cada volume na hora do embarque. No caso, basta que a bagagem esteja perto de leitores por rádio para que seu trajeto seja registrado e os dados sejam automaticamente enviados ao aplicativo da companhia.

Durante o voo, os passageiros podem acessar tais informações em tempo real. Assim, na palma da mão, é possível ver especificações completas sobre as malas despachadas, como peso e dimensões, além do local exato de guarda. A conciliação entre data mining e mobilidade corporativa reduziu significativamente as filas na área de retirada de pertences, assim como as reclamações dos usuários. A checagem prévia das malas antes que estejam na esteira da área de desembarque é mais um excelente caso de análise de dados na antecipação de demandas.

Segundo o IDC, até 2020, o universo digital atingirá a incrível marca de 44 zettabytes — o equivalente a 44 trilhões de gigabytes. O mesmo estudo mostra que, em 2013, 22% dos dados eram analisados por meio de recursos de Big Data Analytics, percentual que deve subir para 37% em 2020. E isso inclui dados cujas origens vão desde sensores RFID a supercomputadores, de PCs a microdispositivos instalados em carros e aeronaves. Como você viu, a Delta já está adiantada nesse processo.

Estudando a concorrência

O McDonald’s também é um especialista no uso de data mining. Na verdade, não se trata de Big Data, mas sim, de Best Data. Vendendo 75 sanduíches por segundo e servindo mais de 118 milhões de pessoas em 62 países, a empresa aprendeu a monitorar seus processos, seu público-alvo e as mudanças de tendência do varejo, bem como o comportamento da concorrência. Só assim consegue se manter senhora do setor há décadas. Ao usar sentiment analysis para entender o que os consumidores criticam ou elogiam nos produtos da concorrência, a rede é capaz de se adaptar com velocidade. Com isso, consegue conquistar e fidelizar até mesmo os clientes da competição.

Vale lembrar que, no caso do McDonald’s, os dados são realmente tratados como preciosidades. Para você ter noção, até as imagens das câmeras dos drive-thrus são usadas para aprimorar a estrutura física dos postos de entrega dos sanduíches, melhorar processos e antever problemas no fluxo de atendimento.

Segmentando o mercado

Feito em 2016, um levantamento da Forrester revelou que 36% das empresas já usam ativamente o data mining para gerar insights mais precisos na elaboração de estratégias de relacionamento com o cliente. E acredite se quiser: uma fonte riquíssima na obtenção de dados para a geração de conhecimento do consumidor está nas redes sociais.

As mídias sociais impulsionaram o crescimento da análise de grandes dados, abrindo as portas para o infinito no uso do data mining. Isso porque, em um mundo cada vez mais digital, em que quase tudo passa pela web, as pessoas adotaram os canais sociais como locais propícios para expor suas rotinas, confessar angústias e expressar tanto expectativas como necessidades. Esse registro quase integral dos anseios do novo consumidor permite entender com precisão onde a empresa pode ajudá-lo e, muito além disso, o que a concorrência tem feito de errado.

A partir desse diagnóstico, as organizações podem compreender sua posição no mercado (market share) e segmentar seu público de acordo com suas preferências e seu comportamento. Abrem espaço, assim, para a criação de produtos e para o desenvolvimento de uma comunicação personalizada, muito mais eficiente. O Retorno sobre o Investimento (ROI) das ações de marketing e vendas é, com isso, exponencialmente ampliado.

E você, por acaso já usa recursos de data mining em seus negócios? Não perca mais tempo! Curta nossa página nas redes sociais para receber insights sobre as melhores estratégias de TI adotadas pelos líderes de mercado! Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Google+ e no Twitter!

 

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.