Gestão de Negócios

Gestão de riscos em TI: saiba como fazer em 5 passos

Escrito por SONDA

Você sabia que uma das principais áreas voltadas para a segurança digital no ambiente corporativo é a gestão de riscos em TI? É por meio dela que gestores conseguem identificar problemas na infraestrutura do negócio, prevenir ataques e otimizar a segurança de todos os usuários.

Só tem um detalhe aí: para a gestão de riscos realmente ser capaz de identificar pontos de vulnerabilidade e fatores em geral que impactam no dia a dia da equipe, é necessário adotar um conjunto de estratégias. Pronto para conhecer as 5 melhores formas de otimizar sua gestão de riscos em TI? Então acompanhe nosso post de hoje!

1. Promova treinamentos constantes

A maioria dos ataques digitais demanda algum tipo de interação com o usuário para alcançar seu objetivo, atingindo um dispositivo. Dos mais simples aos mais complexos, os principais malwares só conseguem infectar infraestruturas corporativas por meio de ações humanas. Justamente por isso, é importante treinar os profissionais para que consigam identificar sites e mensagens com conteúdos maliciosos.

As práticas precisam ser continuamente divulgadas para todos os times, juntamente com mensagens alertando sobre novas regras de segurança adotadas ou sobre o surgimento de novas possíveis ameaças. Não se esqueça de criar canais abertos de comunicação entre o setor de TI e o restante da empresa. Dessa forma, sempre que alguém tiver dúvidas a respeito de um conteúdo on-line ou mesmo sobre a integridade de um arquivo, poderá perguntar diretamente para os especialistas.

2. Divulgue uma rotina de boas práticas

A adoção de uma política de gestão de riscos em TI pressupõe que a empresa terá rotinas para evitar a invasão da infraestrutura interna. Isso é feito por meio de boas práticas, que devem ser criadas e aplicadas pelo setor de TI, mas também adotadas integralmente pelos demais times.

Para tornar tudo isso possível, o negócio deve educar os profissionais para que adotem esses processos como parte da sua rotina. Nesse sentido, o uso de senhas complexas é apenas o começo de uma longa lista de práticas que podem ser implementadas em cada área. Entre as principais, destacamos:

  • a confirmação do envio de e-mails com anexo feita diretamente com o remetente, por algum outro canal de comunicação — como um telefonema;
  • o uso de senhas complexas, com letras, números, símbolos e variação entre maiúsculas e minúsculas;
  • a adoção da autenticação de 2 passos;
  • o uso de ferramentas de cloud storage para compartilhamento de arquivos.

3. Crie um processo de backup de dados

O backup de dados permite que o negócio tenha um ambiente de TI confiável, realmente preparado para enfrentar eventuais falhas de hardware e de software. Inclua aí todas as informações de valor do empreendimento, o uso de múltiplas mídias e uma frequência contínua. Assim, a empresa consegue criar uma política de manutenção de suas informações recuperáveis a qualquer momento.

O primeiro passo para a definição da política de backup é avaliar quais são os registros que devem ser incluídos nas rotinas de cópia de dados. Aqui, a empresa precisa analisar quais são as informações que, se ausentes, podem causar prejuízos ao negócio. Também é necessário identificar o quão frequentemente cada registro é alterado pelos usuários. Dessa forma, a empresa consegue definir uma frequência otimizada para a cópia de cada informação. Dados que são pouco alterados, por exemplo, podem ter cópias criadas em intervalos maiores.

Por fim, a companhia deve adotar uma estratégia que envolva múltiplas mídias de backup. Nesse quesito, CDs, DVDs e mídias portáteis, como pen drives, devem ser descartados, uma vez que oferecem pouca segurança e confiabilidade quando comparados com outras tecnologias, como o backup na nuvem.

4. Use softwares confiáveis estrategicamente

Hoje em dia, praticamente toda empresa depende de um ou mais softwares para executar suas rotinas de trabalho. Esses recursos são usados para automatizar tarefas, centralizar o acesso a dados e dar mais mobilidade operacional à empresa. Isso sem falar na enorme diversidade de opções de software implementados para reduzir a quantidade de erros operacionais e conseguir atuar com mais eficiência, usando menos recursos. Justamente por isso, é crucial que o negócio conte com soluções confiáveis.

Além do mais, é sempre bom lembrar que há sim casos de ataques de malware que exploraram exatamente as vulnerabilidades das aplicações para acessar a infraestrutura da empresa. Para não correr esse risco, opte sempre por soluções conhecidas no mercado, adquirindo-as de fontes confiáveis. E evite aplicações que tenham sido alteradas por terceiros, ok?

Fora isso, também vale ficar atento ao acordo de uso dos softwares. Afinal, é por meio desse documento que as desenvolvedoras especificam suas políticas de suporte, de atualizações e de privacidade. Dessa forma, você consegue evitar o uso de uma ferramenta que não esteja alinhada com as regras internas do empreendimento ou até mesmo com a legislação local.

Por fim, não se esqueça de efetuar a atualização constante de todas as aplicações implementadas. Crie um conjunto de processos que permita a validação e a integração ágil de uma nova versão de software pela empresa. Assim, a exposição dos usuários a vulnerabilidades de segurança será a menor possível.

5. Faça o monitoramento dos recursos de TI

O monitoramento da infraestrutura é uma das bases de qualquer política de segurança digital. Por meio dessa rotina, a empresa consegue identificar vulnerabilidades, rastrear ameaças e avaliar o comportamento de cada usuário em busca de contas comprometidas. E saiba: esse monitoramento de recursos possui um papel estratégico na gestão de riscos em TI.

Por meio dele, a empresa pode levantar dados sobre as maiores brechas do empreendimento com alta precisão e agilidade. Com esses dados em mãos, o negócio não só consegue criar uma política de gestão de riscos eficiente, mas também avaliar continuamente o impacto das medidas tomadas. No longo prazo, o gestor terá um histórico bem completo sobre o funcionamento da sua infraestrutura, que não só pode ser usado para proteger dados internos como também para otimizar os recursos disponíveis e a experiência de uso das soluções digitais empregadas pela empresa.

As políticas de segurança digital já são adotadas por inúmeros empreendimentos para otimizar sua infraestrutura de TI. Esse é o seu caso? Comente aqui e nos conte quais são as práticas adotadas!

 

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.

Deixar comentário.

Share This
Navegação