Tecnologia da Informação

Indústria 4.0: entenda o conceito e o impacto no mercado

Escrito por SONDA

O mundo corporativo está em constante evolução e manter-se de portas abertas por décadas passa necessariamente por ter visão de futuro e enxergar primeiro do que a concorrência a existência de um momento de transição na história, como o que estamos vivenciando hoje, na era da Indústria 4.0.

Você consegue imaginar o que aconteceu com os artesãos, pegos de surpresa em meados de 1780, quando a mecanização redefiniu as bases da produção têxtil? Ou com quem fabricava carruagens, quando os motores a combustão interna comandaram a 2ª Revolução Industrial (1870)? Ou o que dizer do drama vivido pelas fabricantes de máquinas de escrever durante a popularização dos computadores pessoais nas décadas de 80 e 90?

E se disséssemos que você é testemunha de mais uma tempestade de inovação, mais um ponto de inflexão histórico em nossa sociedade, dessa vez, rumo a um mundo inteiramente digital? Fique atento, sua empresa precisa ter base tecnológica para adaptar-se com rapidez aos efeitos da 4ª Revolução Industrial.

Hoje você vai entender o que é a Indústria 4.0 e qual o impacto que esse tsunami de tecnologia pode ter em sua empresa. Acompanhe!

Em meio à realidade virtual, 5G e IoT você ainda trabalha com planilhas do Excel?

A crescente digitalização tem redimensionado a forma de pensar a cadeia de produção industrial. Basta recordar que em 2005 trafegavam pelo planeta cerca de 4,4 trilhões de gigabytes; em 2020, esse número deve chegar a 44 trilhões de gigabytes, número 10 vezes maior!

Nessa perspectiva — impulsionada pela computação em nuvem, tecnologias cada vez mais modernas de comunicação móvel (5G) e sistemas de análise de dados (Big Data) — o universo industrial/corporativo vem interconectando processos em escala cada vez mais ampla, conjugando inovações como impressoras 3D, drones e realidade virtual para construir um novo conceito produtivo, automatizado e focado em mobilidade.

Fábricas em que o ciclo de vida das peças é controlado digitalmente; automóveis com sistema de mobile payment; empresas com assistentes pessoais virtuais, capazes de cuidar de tarefas administrativas e até tomar decisões gerenciais; processos agrícolas realizados por robôs, mediante telemetria e análise profunda de dados, isso é Indústria 4.0.

Por que essa fase é chamada de 4ª Revolução Industrial?

O fim do século XVIII foi marcado pelo surgimento da máquina a vapor e do tear mecânico, no que se convencionou intitular de 1ª Revolução Industrial. Um século mais tarde, foi a vez da disseminação do petróleo como fonte de energia, da criação da própria energia elétrica e do desenvolvimento do automobilismo. A partir dos anos 70, foi a vez dos computadores pessoais serem integrados aos processos produtivos, dando muito mais velocidade às tarefas administrativas.

Chegamos então aos dias de hoje, um momento de aperfeiçoamento dos recursos computacionais, em que mundo virtual e real se misturam em um oceano de interconexões capitaneadas pela junção de tecnologias físicas, digitais e biológicas.

Internet das Coisas (IoT), nanotecnologia, Big Data, realidade virtual e aumentada já começam a provocar mudanças nas formas como as pessoas vivem, trabalham, consomem e, evidentemente, produzem.

Lembra dos fabricantes de carruagens, citados no início do post? Pois bem, as empresas que não prepararem sua infraestrutura de TI para automações, robotizações e uso intensivo da análise de dados tendem a ficar para trás, igualmente engolidas pela roda da evolução.

Quais são as características de um ambiente empresarial baseado na Indústria 4.0?

Automação

Os primeiros modelos de “fábricas inteligentes” já começam a surgir pelo mundo. Em algumas delas, todo o processo de concepção e teste é feito no âmbito cibernético, por meio de um conceito chamado de gêmeo digital.

Essas ferramentas, baseadas em realidade virtual, permitem que boa parte do ciclo de desenvolvimento do produto seja formatada antes mesmo da criação de um único protótipo físico, reduzindo custos com matéria-prima e retrabalhos.

Real time

O que você acharia de acompanhar todo os indicadores de desempenho de seu hospital em tempo real, como taxa de rotatividade de pacientes, percentual de ocupação de leitos, estimativa de tempo de atendimento de cada usuário, entre outros parâmetros?

Na era da Indústria 4.0, esses e muitos outros referenciais podem ser controlados por meio de sistemas centralizados que, com o auxílio de redes neurais e linguagem de máquina, coordenam ações administrativas para dar muito mais inteligência operacional à instituição. Esse mesmo raciocínio se aplica a quase todos os setores da economia.

Inovação constante

A nanotecnologia também já se faz presente em muitas organizações, especialmente na indústria química. A título de curiosidade, algumas fabricantes têxteis nos Estados Unidos já trabalham com princípios ativos encapsulados que são liberados periodicamente.

Com isso, torna-se possível produzir camisas com repelentes de insetos ou blusas hidratantes. Na Indústria 4.0, sua empresa deve utilizar as tecnologias disponíveis para criar soluções e reinventar-se permanentemente.

Trabalho por demanda do público

Na medida em que quase tudo tende a estar conectado, muitas organizações que têm na análise de perfil um de seus processos passarão a criar produtos ou serviços cada vez mais personalizados. Um exemplo é o que está sendo desenvolvido, ainda que de maneira discreta, no segmento de seguros.

Muitas seguradoras têm trabalhado com a instalação de sensores nos veículos a serem segurados, no intuito de avaliar minuciosamente o perfil de cada cliente. Por meio desses dispositivos, é possível analisar dados de frenagem, locais de uso do carro, velocidade média, entre outros “rastros” que são direcionados a soluções de Big Data.

Esses sistemas conseguem transformar esses dados brutos em informações gerenciais, indicando o potencial de sinistralidade em cada contrato e permitindo que a seguradora chegue a prêmios muito mais justos, especialmente no processo de renovação.

Virtualização

Na residência médica, treinamentos cirúrgicos são consolidados com a ajuda de soluções em realidade virtual; na indústria, ferramentas de realidade aumentada garantem que profissionais acompanhem detalhes na montagem de peças; na educação, conceitos de física são mostrados na prática com aplicações de VR.

Para que a transformação digital da Indústria 4.0 um dia se torne real em sua empresa, é necessário preparar desde já sua infraestrutura, com virtualização de servidoressoluções para videoconferências e melhoria na área de comunicações e redes. Como anda sua organização nesses quesitos?

Gostou das informações do post? Então, siga nossos perfis nas redes sociais — FacebookLinkedInGoogle + e Twitter — e não perca nossas atualizações!

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.