Tecnologia da Informação

Os 8 principais erros cometidos durante a migração para a nuvem

Escrito por SONDA

Sua empresa está preparada para migrar para a nuvem? Pois deveria! Afinal, os benefícios que a cloud computing traz para a operação e o controle de gastos em um negócio são simplesmente inegáveis. Mas só é possível aproveitar ao máximo essas vantagens se a implementação for feita corretamente. Ter pressa ou pouco cuidado nessa hora pode transformar o que seria uma solução perfeita em uma enorme dor de cabeça.

Que tal aprender desde já a fazer a migração para a nuvem sem sustos? Então comece conhecendo os 8 principais erros que as empresas cometem!

1. Não planejar a migração adequadamente

Apesar de muitas vezes ser um processo simples de implementação, a migração para a nuvem é bastante complexa em questões estratégicas. Sem levar isso em conta, diversas empresas acabam se perdendo ou desperdiçando dinheiro por não criar um planejamento adequado. Assim, principalmente se você deseja otimizar seu investimento e trazer benefícios reais à operação, precisará de um plano de implementação e manutenção para não cair na mesma armadilha.

Esse documento passa por definição de metas para os resultados desejados com a migração, elaboração de etapas para uma implementação coerente e sem atropelos, além da atribuição de responsabilidades e da criação de rotinas para os profissionais envolvidos no sistema. Entenda: desde o início, o mais importante para não errar na migração é criar um mapa completo, indicando como a empresa se beneficiará da solução.

2. Desconsiderar as opções disponíveis

Nuvem híbrida, pública ou privada, SaaS, IaaS, armazenamento, computação, virtualização de sistemas: a nuvem é um termo amplo, que envolve uma série de ferramentas e serviços para atender a demandas específicas. No entanto, por falta de conhecimento ou mesmo por pressa em aderir a essa nova tecnologia, é comum que empresas pulem no barco sem saber para onde ele está indo, contratando serviços nada adequados a suas necessidades e, com isso, desperdiçando dinheiro.

Para não cometer o mesmo erro, faça um esforço para realmente conhecer cada solução, analisando tanto os benefícios como os desafios que cada uma traz para a empresa. Só escolha a alternativa a contratar depois de muita pesquisa e alinhamento com sua estratégia de negócio!

3. Não contar com um parceiro estratégico

Outro erro bastante comum de empresas apressadas ou despreparadas para migrar para a nuvem é tentar resolver tudo por conta própria. Na prática, para facilitar a busca e até a implementação em si da solução escolhida, o ideal é contar com a ajuda de um parceiro tecnológico.

Essa parceria pode ser estabelecida por meio de uma consultoria especializada que aponte os provedores e fornecedores mais adequados para sua demanda operacional ou um outsourcing mais profundo do seu setor de TI, transferindo para uma empresa confiável a implementação, a manutenção e o controle das novas tecnologias.

4. Calcular o custo-benefício de forma errada

Seja na aquisição de soluções tecnológicas ou na contratação de parceiros, toda solução adotada corporativamente deve caminhar naquela linha tênue existente entre custo e benefício. Como a nuvem ainda é um conceito novo para muitos empresários e diretores, esse cálculo nem sempre é feito de forma adequada, deixando de levar em conta muitas variáveis (diretas e indiretas) para a implementação e a manutenção da cloud computing.

Como essa definição está ligada ao planejamento estratégico, é importante saber bem aonde você quer chegar e como a empresa pode efetivamente alcançar esse objetivo. E esse é mais um item em que a parceria e o outsourcing podem ajudar, contribuindo para uma migração sem erros.

5. Não treinar a equipe

Muitas vezes, o esforço feito para contratar os melhores profissionais para a empresa acaba fazendo a diretoria negligenciar a atualização de toda a equipe. Mas é preciso lembrar que, por mais talentosos que sejam os colaboradores, a implementação de qualquer tecnologia exige sim planos de treinamento, garantindo que o time tenha o conhecimento necessário para aproveitar ao máximo as novidades.

Geralmente, serviços de nuvem envolvem armazenamento, computação, gerenciamento de pessoal e controle de dados. Com isso em mente, saiba: o melhor é investir em equipes multidisciplinares, fornecendo a esses profissionais as melhores ferramentas para exercerem seu trabalho com excelência.

6. Deixar de definir termos de uso e controle de acesso

Estando sua equipe de TI treinada, você pode passar a se preocupar com o restante dos funcionários. Lembrando que a maior vantagem da nuvem é centralizar e disponibilizar os dados da empresa para acesso rápido e colaborativo das informações. O problema é que muitos negócios ignoram a segurança gerencial, não definindo parâmetros rígidos de acesso e uso dos dados.

Não caia no mesmo erro! Crie uma documentação específica e credencie seus profissionais de acordo com a relevância e a sensibilidade dos dados. Assim você garante o uso correto das informações, bem como mais produtividade e menos problemas internos.

7. Não cuidar você também da segurança

Nada de deixar a segurança dos dados exclusivamente por conta do provedor! Entenda: essa também é uma responsabilidade da empresa. Lembre-se de que, por mais que a estrutura na nuvem seja segura, as ameaças estão presentes também na sua ponta do sistema.

Além do controle de acesso e da elaboração de termos de uso, ainda é fundamental que a diretoria use ferramentas de análise para minimizar as brechas por falha humana. Afinal, basta um site suspeito aberto ou um arquivo modificado sem autorização para que toda a estrutura seja colocada em risco.

8. Não elaborar planos de contingência

Implementação, manutenção, controle, colaboração, acesso: em todas essas etapas da migração para a nuvem existe a possibilidade de falhas, sejam elas humanas ou técnicas. Aparentemente, porém, muitas empresas ainda não perceberam que simplesmente não existe sistema impenetrável. Nessa hora, o que define o erro ou o acerto é a velocidade e a eficiência que sua equipe tem para reverter crises.

Não criar planos de contingência é um erro enorme para empresas que pretendem migrar para a nuvem, pois essa negligência pode resultar em grandes prejuízos no futuro — muito maiores, aliás, que o dinheiro economizado com um processo apressado. Mais uma vez, a ajuda de um parceiro para a elaboração de planos de contingência é uma forma bastante eficiente de garantir a segurança do sistema e evitar dores de cabeça.

Como você pôde ver, a migração para a nuvem é uma solução incrível. Se você é diretor ou dono de uma empresa e está cogitando a solução, vá em frente! Só não se esqueça: planejamento, treinamento, atenção e pesquisa são essenciais para evitar erros.

E então, gostou do post? Quer saber mais sobre a nuvem e como fazer uma migração sem sustos? Então assine a nossa newsletter e receba mais dicas diretamente no seu e-mail!

 

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.

Deixar comentário.

Share This
Navegação