Tecnologia da Informação

Multicloud: entenda o conceito de arquitetura heterogênea

Escrito por SONDA

Os últimos anos foram marcados pela popularização do uso da cloud computing dentro do ambiente corporativo. Em busca de maior mobilidade, segurança e melhor aproveitamento dos recursos, companhias dos mais diferentes setores incorporaram a computação na nuvem em suas estratégias. Com isso, os serviços se tornaram mais inovadores e as empresas passaram a ter um nível de performance contínuo, independentemente da demanda.

No entanto, a partir do momento em que a nuvem se tornou mais integrada às estratégias de mercado das empresas, novas necessidades surgiram. Hoje, em ambientes híbridos, privados e públicos, muitas companhias já conseguem manter um nível elevado de performance, entregando a seus clientes produtos e serviços de altíssima qualidade. O detalhe é que, conforme o mercado muda, um único prestador de serviços nem sempre é capaz de atender às demandas internas.

É nesse cenário que surgiu a multicloud, a fim de dar ao negócio a flexibilidade necessária para investir em serviços de computação na nuvem de diferentes prestadores. Essa abordagem tem criado ambientes de trabalho mais inteligentes, inovadores e eficazes. Os profissionais ganharam maior capacidade de atender a demandas externas, conseguindo atuar de maneira estratégica, com ferramentas que resolvem suas necessidades por completo.

Quer saber mais sobre a multicloud e como ele afeta seu negócio? Então não perca tempo: confira no nosso post especial todas as características desse modelo inovador de computação na nuvem!

Afinal, o que é a multicloud?

A multicloud é uma estratégia de adoção de serviços de cloud computing por meio da qual a empresa escolhe implementar soluções de computação na nuvem de diferentes prestadores de serviço. Cria-se, assim, uma plataforma com mais serviços, disponibilidade e flexibilidade.

Também conhecida como nuvem (ou cloud) múltipla, essa prática ganhou bastante força no mercado nos últimos anos. Passou a fazer parte da rotina de muitas empresas depois dos modelos de cloud computing híbrida, privada e pública terem se disseminado pelo mercado. A proposta é ajudar gestores a terem maior controle sobre seus recursos e a conseguirem uma integração mais profunda da nuvem dentro do seu ambiente de trabalho.

Com a ampliação do uso da computação na nuvem dentro do ambiente corporativo, novas necessidades surgiram. Agora, as empresas precisam lidar com uma demanda maior por recursos, setores com implementações diferentes de ferramentas de cloud computing e, claro, a busca contínua por inovação. Nesse cenário, nem sempre os serviços de um único provedor de cloud são capazes de atender às demandas internas.

É aí que a abordagem multicloud entra, permitindo que gestores de Tecnologia da Informação façam um uso mais estratégico da computação na nuvem. A ideia é sempre buscar serviços que se adaptem às necessidades do negócio naquele momento.

Pode-se manter uma infraestrutura híbrida ou que só faça uso de serviços de cloud pública. De toda forma, em ambos os casos, a infraestrutura de TI será planejada de acordo com as metas e demandas internas, dando mais diversidade para o conjunto de ferramentas de TI usadas por cada setor.

A maior vantagem da multicloud está na possibilidade de ter uma companhia operando continuamente com serviços de cloud computing de alta performance. Com essa prática, o gestor tem flexibilidade para migrar suas aplicações rapidamente para prestadores de serviço com planos mais econômicos ou plataformas de maior performance, beneficiando-se dos pontos fortes de cada um.

Adotando uma estratégia multicloud, portanto, o negócio passa a investir nas plataformas de cloud computing que se adaptam melhor a suas necessidades, sem se limitar a um único prestador de serviços. A companhia poderá, por exemplo, manter um serviço de cloud storage já integrado aos sistemas operacionais usados internamente, ao mesmo tempo em que tem uma suíte de aplicativos licenciada via SaaS por outro empreendimento. Assim, troca uma integração profunda com determinados recursos do sistema operacional por um software com recursos mais inteligentes e melhor suporte ao usuário.

Nesse contexto, a empresa terá sempre ferramentas de alta performance e qualidade para entregar a seus profissionais, já que o ambiente de trabalho será repleto de soluções bem escolhidas, capazes de atender às demandas de usuários e evitar gargalos operacionais diversos.

Qual a diferença entre multicloud e nuvem híbrida?

A principal diferença entre a estratégia multicloud e a nuvem híbrida está na diversidade dos serviços. Relembrando: a nuvem híbrida é um modelo de computação na nuvem em que o negócio mescla uma plataforma de cloud computing pública, em que os recursos são divididos entre todos os usuários, e outra privada, em que os recursos são usados apenas pelo dono da infraestrutura. Tem-se com isso mais flexibilidade para definir como cada ferramenta será executada.

No caso da multicloud, não existe garantia de que as ferramentas de cloud computing contratadas estarão hospedadas em diferentes plataformas de cloud computing. O negócio pode manter uma estratégia voltada apenas para ferramentas de computação na nuvem executadas em ambientes públicos, integrar ferramentas de cloud privada com híbridas ou investir só na cloud privada.

No fim das contas, a lógica é simples: toda estratégia de nuvem híbrida usa ferramentas de cloud computing privadas e públicas, mas nem toda estratégia de multicloud segue essa abordagem. Entretanto, os 2 modelos se completam e podem fazer parte do mesmo modelo de serviços de TI adotado pela empresa.

Por que trabalhar com essa diversificação?

A diversificação dos investimentos em cloud computing coloca o negócio em um lugar estratégico. Com isso, gestores de TI conseguem adotar ferramentas que realmente se adaptam às necessidades de cada time, evitando o desperdício de recursos e criando investimentos com maior retorno. A empresa tem, assim, mais recursos para adotar novas tecnologias e, ao mesmo tempo, um ambiente de trabalho mais funcional.

No ambiente de trabalho criado pela multicloud, a nuvem fica mais incorporada à cadeia operacional. Como consequência, todos os times conseguem aproveitar os benefícios dessa tecnologia e, assim, elaborar rotinas de trabalho de maior qualidade.

Além disso, a empresa tem mais capacidade de se manter operacional. Uma vez que seus investimentos de cloud computing não estão limitados a um único prestador de serviços, os gestores conseguem migrar rapidamente as operações caso alguma ferramenta falhe, pois entre os benefícios da multicloud temos a possibilidade de criar um ambiente de produção no provedor A e um ambiente de DR (Disaster Recovery) no provedor B, automatizando os processos de failover e failback. Assim, mais disponibilidade de recursos é entregue a todos.

A multicloud veio para atender à necessidade de serviços de cloud computing mais integrados, flexíveis e adaptados às necessidades de cada setor. Hoje, para que a empresa faça uso estratégico da nuvem, o investimento na área deve ter um foco que vai além da busca por uma solução com baixo custo e alta disponibilidade. Deve-se investir em uma ferramenta que esteja alinhada com o perfil do setor em que ela será utilizada e que consiga suprir as demandas de cada área.

No entanto, como o mercado oferece um conjunto de soluções que são desenvolvidas com diferentes focos, nem sempre um prestador de serviços pode atender às necessidades individuais de cada time. Pois é nesse ponto que a multicloud se destaca, dando ao negócio flexibilidade para integrar cada setor com as tecnologias que melhor atendam a seus princípios e objetivos de médio e longo prazos.

Como é feita a gestão de dados?

A multicloud traz sim muitas soluções, mas também traz alguns desafios para os gestores de TI. Ao adotar essa estratégia, é importante que o negócio esteja atento a uma série de fatores que, se ignorados, elevam os custos de manutenção dessa abordagem, podendo causar problemas para o negócio no longo prazo.

Optando pela multicloud, a empresa fará a gestão de um conjunto diversificado de ferramentas de computação na nuvem, o que ampliará rapidamente a complexidade das políticas de governança e gestão de dados. Afinal, nesse caso, em vez de lidar com o monitoramento e o controle de recursos em um ambiente centralizado, o gestor trabalhará com plataformas de diferentes perfis.

Para evitar que isso se transforme em um grande problema, o negócio deve, inicialmente, fazer uma revisão completa de suas políticas internas. É necessário criar novas regras de controle, adaptar o ambiente de trabalho e incorporar recursos administrativos para garantir que falhas de performance ou exposição de informações internas não façam parte da realidade da empresa.

Também pode ser necessário contratar mais profissionais de TI para auxiliar na execução de rotinas de gestão. Pense bem: com uma infraestrutura de TI mais diversificada e complexa, a empresa precisará não só de profissionais com conhecimentos múltiplos, como de um maior número de pessoas para manter todos os serviços funcionais. Nesse momento, é o outsourcing de TI que se apresenta como a solução ideal para diversos negócios.

Ao terceirizar parte de suas operações de TI, a empresa reduz custos, torna-se mais flexível e consegue modificar o tamanho do time de TI com agilidade. Ao mesmo tempo, há a garantia de que o setor sempre terá um time preparado para enfrentar quaisquer desafios diários com um trabalho de qualidade e adequadamente planejado.

Ferramentas de monitoramento e scripts de automatização também podem ser incorporados ao empreendimento, permitindo que gestores mantenham o trabalho com maior foco nas necessidades de cada usuário. Evita-se com isso um grande direcionamento das atividades diárias para rotinas de manutenção e monitoramento de recursos.

O importante aqui é criar mecanismos que possam garantir ao negócio a capacidade de se manter operacional e com uma cadeia de serviços de alta performance. Com isso, a empresa pode atuar continuamente no atendimento a demandas de mercado, evitando problemas de indisponibilidade e gargalos internos.

Que tipo de tecnologia de segurança é utilizada?

A estratégia multicloud faz uso de soluções de segurança semelhante às usadas quando o investimento é feito em um único prestador de serviços. Não existem, portanto, grandes diferenças para o setor de TI quanto às ferramentas que serão utilizadas para controlar os dados internos. Estamos falando de VPNs, protocolos de segurança, políticas de controle de acesso e monitoramento de recursos, que ainda farão parte do dia a dia do gestor de TI.

O ponto-chave da multicloud está em compreender que a companhia deverá lidar com um número maior de soluções de segurança e um ambiente mais diversificado. Como consequência, as políticas de TI terão mais complexidade e demandarão mais recursos humanos para serem mantidas.

A empresa deve se preparar para evitar que a presença de novas ferramentas se torne um desafio grande demais para os responsáveis pela execução de processos de gestão e segurança da informação. Nesse sentido, uma boa alternativa é buscar centralizar a gestão de recursos sempre que possível, além de investir em uma distribuição inteligente.

Fora isso, o investimento deve sempre levar em conta as funcionalidades de segurança oferecidas pelo prestador de serviço, evitando aquelas pouco confiáveis ou com normas desatualizadas. Contando com regras claras e um departamento de Tecnologia da Informação devidamente organizado, a empresa poderá manter uma infraestrutura de TI diversificada sem ter que enfrentar riscos desnecessários.

Quais são os principais benefícios para a empresa?

A adoção de uma estratégia de investimentos na computação na nuvem baseada na multicloud traz uma série de benefícios para o negócio. Com maior flexibilidade e serviços adaptados a todas as demandas do empreendimento, surge a chance de criar soluções inteligentes e inovadoras para parceiros comerciais. A qualidade do trabalho interno é continuamente garantido, uma vez que os profissionais têm acesso a ferramentas de alta performance. Mas tem mais!

Disponibilidade de recursos

Como você já sabe, com a multicloud, a empresa deixa de trabalhar com um único provedor de cloud computing para executar suas ferramentas. Cria-se, assim, uma maior proteção contra falhas, problemas de disponibilidade e de performance.

Ao investir em uma ferramenta de computação na nuvem, é crucial que a gestão adote uma plataforma de serviços com alta disponibilidade. Afinal, considerando que a empresa terá um ambiente de trabalho integrado a soluções que não são executadas localmente, não ter acesso contínuo a um serviço prejudica todas as operações do negócio.

A boa notícia é que a cloud múltipla oferece mais resiliência à queda de serviços. Sem contar que, caso um prestador enfrente problemas em seu data center, o gestor de TI consegue migrar rapidamente suas operações para outra infraestrutura de cloud computing. Com isso, a empresa garante que seus profissionais poderão continuar trabalhando independentemente de fatores externos, fora de seu controle.

Opções de escolha

A multicloud também dá mais opções de escolha para o negócio. Com essa abordagem, os gestores têm liberdade para investir em ferramentas de nuvem diversificadas, que seguem a diferentes princípios na sua construção. Assim, os profissionais conseguem inovar mais e contar sempre com ferramentas capazes de atender a seu perfil de trabalho.

Se existe a necessidade em determinada área de um banco de dados com um suporte maior a um tipo de tecnologia específica, por exemplo, a empresa pode integrar essa ferramenta rapidamente ao ambiente de trabalho do setor. Mas e se outro time necessita de um banco de dados desenvolvido com foco em recursos de segurança avançada? Sem problemas! Com a multicloud, a empresa pode investir nessa solução também, criando um ambiente de trabalho com múltiplos sistemas para a gestão de informações estratégicas.

Aqui, o foco do investimento na nuvem deixa de ser direcionado por certos fatores, como a empresa que fornece um melhor custo-benefício para a companhia como um todo. O que passa a ser visto é a necessidade de cada time, permitindo que os gestores adotem soluções adaptáveis aos objetivos de cada área, mesmo que isso leve ao investimento em ferramentas de diferentes prestadores.

Relação entre custo e benefício

Uma estratégia focada na multicloud dá ao negócio a capacidade de sempre fazer o melhor uso possível da nuvem. Apostando no modelo, todos os benefícios dessa tecnologia farão parte do dia a dia da empresa, uma vez que gestores conseguirão implementar ferramentas com ótimo custo-benefício. É isso mesmo: cada setor da companhia contará com aquela solução capaz de gerar o melhor retorno possível sobre o investimento.

Se houver a necessidade de um armazenamento de arquivos mais eficaz em uma área estratégica, por exemplo, o negócio contará com uma solução focada nessa característica. No entanto, se outro time buscar uma ferramenta de baixa latência, o gestor poderá escolher uma ferramenta com essa característica, mesmo que a velocidade de acesso a arquivos seja menor. Todos saem ganhando!

Atendimento às demandas

A multicloud coloca a empresa em uma posição estratégica no mercado. Como mencionamos, esse tipo de abordagem de investimento em cloud computing permite que a empresa foque na necessidade individual de cada setor. Assim, incorporando as demandas de cada área, os investimentos se tornam mais diversificados.

Para o gestor de TI, esse fator leva, no longo prazo, a uma compreensão mais abrangente sobre as necessidades do empreendimento como um todo. Trabalhando lado a lado com líderes de outras áreas, o setor de TI sempre conseguirá fornecer ferramentas que se integrem melhor à rotina de cada profissional, gerando um ambiente de trabalho mais conectado e inteligente. E esse fator afetará não só os investimentos feitos na computação na nuvem.

Via de regra, a multicloud permite ao setor de TI alinhar de maneira estratégica suas políticas de gestão e metas de médio e longo prazos, levando sempre em conta tanto os objetivos globais do negócio como as necessidades de cada uma de suas áreas. Isso cria um ambiente de trabalho mais eficaz, inovador e célere.

A tecnologia passará a fazer parte das rotinas estratégias do empreendimento, com profissionais criando serviços mais ágeis e sendo capazes de atender a demandas externas com segurança. Os investimentos e o planejamento do setor de TI conseguirá atender com mais precisão às demandas de cada área, evitando o desperdício de recursos e melhorando a maneira como cada equipe faz uso das soluções de TI no dia a dia.

Como saber se essa é a opção ideal para meu negócio?

A multicloud é uma forma de investir na nuvem que traz uma série de vantagens para a empresa, destacando-se por sua flexibilidade. É necessário, no entanto, avaliar se essa é mesmo a melhor opção para o negócio, buscando identificar se essa abordagem é capaz de criar um ambiente de trabalho mais inteligente, de alta performance e com a capacidade de manter times com uma rotina inovadora. Assim, a companhia evita desperdícios e consegue se manter em um lugar de destaque no seu mercado de atuação.

A princípio, deve-se fazer uma análise abrangente sobre todas as demandas de cada time, seus objetivos e as dificuldades enfrentadas diariamente pelos profissionais. Se a empresa já tiver ferramentas de cloud computing integradas a seus processos, o negócio também pode verificar como elas estão sendo usadas, se há subaproveitamento de recursos ou situações em que os times não conseguem atuar com alta capacidade.

Esse processo de análise dá ao gestor a capacidade de compreender profundamente como seu ambiente de TI está instalado e qual é o impacto nos lucros do negócio. Além disso, ele também conhecerá os problemas enfrentados pelos profissionais, bem como suas maiores necessidades, além da forma como os investimentos estão afetando o dia a dia de cada setor.

Identificando as dificuldades, a empresa consegue checar se existem soluções de cloud computing fornecidas por outros prestadores de serviço com melhor custo-benefício. Deve-se avaliar no mercado quais são as ferramentas disponíveis, como elas funcionam, seu perfil e as funcionalidades existentes. Com isso, o gestor de TI pode rastrear soluções que, no longo prazo, gerarão mais receitas que as já existentes.

A empresa também deve avaliar se tem (ou se consegue contratar, caso necessário) um time de TI maior para executar as rotinas de gestão dessas novas soluções. É importante que o time de técnicos e profissionais de suporte esteja preparado para lidar com as novidades. Afinal, se inadequadamente planejado, o investimento na multicloud pode criar uma série de dificuldades para o setor, gerando queda na qualidade dos serviços prestados e na performance da infraestrutura de TI.

Em geral, a multicloud é uma estratégia que pode gerar benefícios para todas as empresas. Por ser baseada no investimento de soluções de TI que se adaptam às demandas e aos objetivos de cada área, os retornos obtidos tendem a ser maiores quando comparamos com a implementação de um serviço de cloud computing gerenciado por um único prestador. Tem-se, assim, um retorno maior e um custo-benefício elevado independentemente das escolhas feitas pelo gestor.

Por que essa é considerada uma tendência de TI?

Conforme as necessidades das empresas mudam, a multicloud vai se estabelecendo como uma das principais estratégias de investimento na nuvem. Afinal, negócios dos mais diferentes setores buscam soluções adaptáveis a suas demandas, isso levando em conta toda a empresa e não apenas fatores pontuais. Assim, é possível obter um retorno maior sobre os investimentos e gerar uma rotina de trabalho mais inteligente.

O investimento na multicloud deve ser visto, portanto, como uma abordagem estratégica para implementar ferramentas de cloud computing dentro do ambiente corporativo. Assim, a empresa terá soluções capazes de criar uma rotina de trabalho de alta performance. Sem falar que, em vez de focar nos benefícios gerais da tecnologia, o gestor terá uma abordagem focada no impacto que cada investimento pode causar individualmente nos setores em que for implementado.

Por fim, agora que você já é expert na multicloud, que tal compartilhar este post em suas redes sociais para ajudar quem ainda tem dúvidas?

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.