Tecnologia da Informação

O que é a gestão de identidades e acessos e quais são as vantagens?

Escrito por SONDA

SaaS, mobilidade, consumerização: foi-se o tempo em que os usuários privilegiados estavam totalmente dentro do perímetro da sua empresa. Agora é a vez de TI bimodal, Shadow IT, home office e BYOD. Com esses e tantos outros novos desafios de segurança da informação a serem enfrentados pelas organizações, a proteção dos ativos de TI deve focar no controle externo da rede. E é nesse sentido que a gestão de identidades ganha força!

Pronto para entender por que essa estratégia é essencial para o aprimoramento do controle das informações confidenciais no ambiente corporativo? Continue acompanhando para entender como um gerenciamento pleno e unificado do controle de acesso pode diminuir falhas de segurança e reduzir as possibilidades de ataques em sua empresa!

A era dos gadgets

Um levantamento sobre os hábitos de uso da internet no Brasil realizado pela Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) traduziu em números o que vemos no dia a dia: o smartphone se firmou como o principal meio de acesso à internet no país, sendo usado por 69% dos internautas em 2016 — contra 27% dos que usam apenas o computador.

A enxurrada de apps, a praticidade de acesso e o desenvolvimento de uma rede móvel cada vez mais ágil são as forças motrizes para um mundo integralmente mobile, cujos efeitos, evidentemente, transbordam para dentro dos muros das empresas.

Em 2014, 74% das empresas já permitiam acesso remoto a seus sistemas corporativos, reforçando a recomendação de especialistas para que as empresas considerassem aprimorar sua gestão de identidades dentro das políticas de segurança da informação. Essa abertura se tornou inevitável, especialmente com a eclosão dos smartphones, ocorrida na última década.

A partir daí, muitos funcionários passaram a acessar sistemas corporativos e a própria rede da empresa via celulares — muitas vezes, sem o consentimento de seus superiores. O entendimento desse fenômeno por parte das empresas abriu as portas para o BYOD e o home office. Mas atenção: o uso da rede corporativa via gadgets pessoais vai muito além dos sistemas.

Em 2016, 5% das companhias mundiais já autorizavam o acesso físico a seus escritórios por meio de identificação com dispositivos móveis. É isso mesmo! Até 2020, entretanto, a expectativa é que esse percentual suba para 20%. Assim, além da visualização de dados dos sistemas corporativos, o próprio ingresso nas dependências das empresas também tende a ser feito via dispositivos móveis.

Mas como controlar centenas de pessoas entrando em sua rede e agora até em suas dependências físicas a partir de equipamentos pessoais, totalmente à margem do controle da organização? A resposta atende pelo nome de Identity Access Management (IAM) ou gerenciamento de identidades.

A gestão de identidades

Trata-se da definição de uma identidade digital para cada entidade (pessoas, hardwares ou até mesmo processos previamente definidos), associando determinados atributos a essa identificação. Forma-se aí uma árvore de limites de permissões personalizadas, configurada de acordo com os interesses da empresa.

Esse sistema completo inclui autenticação, direitos e privilégios de acesso, além de autorização de utilização com data de expiração automática, o que é bastante útil com relação a funcionários terceirizados. Tudo isso fortalece a segurança de dados nas organizações.

Além disso, a gestão de identidades centralizada elimina o oceano de senhas que perturba os colaboradores, uma vez que é possível acessar todos os recursos da rede (dentro de seus limites) com uma única autenticação. Trata-se, enfim, de promover praticidade aos funcionários e muito mais controle à empresa.

De fato, questões como TI bimodal e BYOD vieram para ficar. O problema é que ainda é responsabilidade da TI manter os dados empresariais seguros, bloqueando acessos não autorizados e limitando as permissões dos usuários dentro de uma hierarquia de autorizações definida pela empresa.

Um sistema de gestão de identidades oferece privilégio de acesso multiplataforma, proteção ao acesso remoto e auditoria de todo o tráfego nas sessões. Por tudo isso e muito mais, é simplesmente indispensável nessa era de negócios digitais!

Os benefícios para as empresas

Reduz a complexidade de acessos

O controle de acessos elimina a necessidade de que cada colaborador mantenha dezenas de senhas — que podem facilmente ser esquecidas ou mesmo extraviadas. Essa integração facilita o compartilhamento de contas, simplifica as formas de acesso e, ao mesmo tempo, amplia os mecanismos de controle.

Hierarquiza permissões com prazos definidos

É fácil controlar o privilégio de acesso dos colaboradores quando a empresa tem 5 funcionários. Mas e quando ela possui centenas, além de outros inúmeros terceirizados, todos ingressando em seus sistemas em diversos horários, sem limite de acesso e a partir de qualquer dispositivo móvel? A princípio, essa parece ser a descrição de um convite à catástrofe, não concorda?

Um sistema de gestão de identidades centralizado permite que seja construída uma hierarquia de permissões, de forma que cada colaborador tenha acesso aos sistemas dentro de um determinado limite. Esse controle possibilita também a fixação de datas finais para acesso, o que é um recurso excelente para quem conta com qualquer tipo de força de trabalho terceirizada.

Automatiza criação, bloqueio e exclusão de conta

Quanto tempo é perdido pela TI da sua empresa com o gerenciamento manual das contas e dos privilégios de acessos? Saiba: é possível automatizar todo esse processo, liberando a equipe de TI para se dedicar a questões mais estratégicas do negócio.

Centraliza a administração dos usuários

Já imaginou controlar todo o acesso e as hierarquias de permissões em um único painel, com indicadores, emissão de relatórios e rastreamento total do que cada funcionário acessa, a partir de qual aparelho, com indicação inclusive da data e do horário? Isso é simplificação da gestão do acesso, centralizando a administração dos usuários no mesmo repositório, por meio de interface unificada!

Facilita a governança e a auditoria

Gerenciar as identidades no data center e na nuvem de forma centralizada, com um login único para todos os seus aplicativos, significa muito mais facilidade no monitoramento de atividades suspeitas, com a emissão de alertas e a realização de auditorias de acesso.

Uma boa parcela dos gastos de TI já é direcionada ao fortalecimento da segurança da informação na parte externa da rede. E esse percentual deve subir significativamente até 2020, uma vez que, nesse mesmo ano, estima-se que o número de dispositivos móveis conectados no mundo ultrapasse a fronteira dos 26 bilhões.

A propósito, como sua empresa tem se preparado para essas mudanças? Há alguma estratégia em gestão de identidades para elevar a segurança de suas informações confidenciais? Compartilhe este post em suas redes sociais para alertar também seus contatos sobre a importância de pensar a segurança de dados de forma sistêmica!

 

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.

Deixar comentário.

Share This
Navegação