Gestão de Negócios

Como a nuvem pode ajudar sua empresa a reduzir custos?

Escrito por SONDA

A infraestrutura de TI é vista por muitas empresas como um ativo essencial. Afinal, é por meio dela que os negócios conseguem inovar, reduzir custos e criar estratégias de serviço mais eficientes. Além disso, as soluções de TI ainda podem ser empregadas para melhorar o fluxo de trabalho e, dessa forma, realmente direcionar os serviços às necessidades do público-alvo.

Por tudo isso e muito mais é que o uso da tecnologia tem sido apontado como alternativa para aquelas empresas que buscam formas de criar estratégias baseadas na redução de custos operacionais. Pois isso pode ser alcançado com melhores processos, rotinas de gestão estratégica, uso de indicadores e até mesmo adoção de novas ferramentas!

Nesse cenário, uma possibilidade imperdível é a computação na nuvem, forma de execução de serviços de TI que proporciona escalabilidade e mobilidade operacional ao negócio. E ainda fica melhor: é possível reduzir custos com cloud facilmente! Quer conhecer todos os detalhes dessa tecnologia? Então confira nosso post de hoje!

As principais características da computação na nuvem

A computação na nuvem é uma tecnologia que permite às empresas executarem suas ferramentas de TI em um servidor remoto. Isso facilita a criação de um ambiente operacional com alta escalabilidade, performance e disponibilidade, além de ainda permitir a adoção de uma rotina com maior mobilidade. Para ficar mais claro, vamos à estrutura dos serviços de cloud computing atualmente!

Software as a Service (SaaS)

Hoje em dia, o software como serviço é um dos principais modelos de computação na nuvem do mercado. Optando por ele, o empreendimento contrata o acesso a um sistema completo, sem para isso ter que configurar a infraestrutura ou a plataforma em que será utilizado.

Com o SaaS, o usuário não precisa se preocupar com uma série de rotinas de gestão que normalmente seriam executadas pelo setor de Tecnologia da Informação. Configuração avançada do ambiente de TI, atualização de sistemas e backup de dados, por exemplo, são executados automaticamente na infraestrutura da nuvem. Dessa forma, a empresa consegue focar no que realmente importa: gerar serviços de qualidade para seus clientes.

Infrastructure as a Service (IaaS)

Como o próprio nome já sugere, o modelo de infraestrutura como serviço permite acesso a uma infraestrutura computacional (física ou virtual) configurada de acordo com as demandas do usuário. Cada conta tem, assim, um conjunto de recursos à sua disposição, incluindo firewalls, endereços de IP personalizados e um sistema de arquivos próprio.

Em outras palavras, o IaaS é aquele tipo de computação na nuvem que permite à empresa ter acesso aos recursos básicos de TI de um sistema. Ele é voltado para quem busca o máximo de controle sobre sua infraestrutura de cloud computing por permitir um trabalho com alto nível de personalização.

Existem 3 formas de o negócio executar suas aplicações de computação na nuvem, cada uma influenciando de maneira diferente como a empresa consegue reduzir custos. Continue acompanhando para conhecê-las!

1. Cloud pública

Com a computação na nuvem em ambientes públicos, a empresa contrata o acesso a recursos em uma infraestrutura compartilhada entre vários usuários. Nesse caso, como os gastos de manutenção e gestão são rateados, a empresa tem acesso a uma ferramenta de alta performance sem precisar fazer um grande investimento.

2. Cloud privada

Com a cloud privada, a empresa é responsável por montar e gerenciar toda a infraestrutura de computação na nuvem. Esse modelo é voltado para quem quer ter um controle maior sobre seus recursos, uma vez que a definição das características das soluções segue as demandas da empresa.

3. Cloud híbrida

Como você pode imaginar, a nuvem híbrida é um modelo que funciona como meio-termo entre a nuvem pública e a privada, trazendo características de ambas. Com isso, a empresa tem o máximo de flexibilidade na hora de definir suas estratégias operacionais.

Platform as a Service (PaaS)

A plataforma como serviço é um tipo de computação na nuvem voltado para empresas que buscam um meio-termo entre o SaaS e o IaaS. Nesse caso, elimina-se a necessidade de o negócio configurar manualmente a infraestrutura, mas é mantida a liberdade para a escolha dos softwares usados.

Com esse modelo, portanto, o negócio contrata uma plataforma digital completa para execução ou desenvolvimento de sistemas personalizados. Consegue-se, assim, mais performance operacional. Afinal, o gestor de TI e seu time não precisam focar na manutenção de recursos, correção de bugs ou outros detalhes envolvidos na gestão de uma infraestrutura complexa.

A cloud computing e o licenciamento de soluções de TI

Tradicionalmente, o licenciamento de ferramentas de TI pode representar um custo bem alto. Diante disso, não são poucas as empresas que buscam alternativas para reduzir seus gastos com infraestrutura de TI e aquisição de novos softwares a fim de liberar recursos para a realização de investimentos com um potencial de retorno financeiro maior.

A troca de equipamentos pode ter seu custo reduzido por meio do outsourcing de TI e de estratégias como o BYOD (Bring Your Own Device), política operacional por meio da qual os profissionais são incentivados a usar equipamentos pessoais no ambiente de trabalho. Já o licenciamento de softwares e sistemas de armazenamento pode ter um custo orçamentário reduzido por meio da cloud computing, tecnologia que possui modelos de negócio versáteis, capazes de se adaptar a vários perfis de negócio.

Esse é o caso, por exemplo, do Software as a Service (SaaS). Aqui, cada sistema é licenciado por meio de uma assinatura, que pode variar conforme o número de usuários ou o plano contratado.

A disponibilização de ferramentas por meio de assinaturas torna a despesa de TI mais precisa, já que a empresa passa a gastar valores correspondentes à quantidade de usuários existentes. Ao mesmo tempo, isso garante acesso à versão mais recente da solução usada, o que é crucial para o empreendimento ter sempre novas formas de inovar à sua disposição.

O mesmo vale para a aquisição de recursos computacionais para a execução de ferramentas de processamento de dados em larga escala e virtualização de software. Feita em servidores na nuvem, essas rotinas passam a ter um custo variável, mudando conforme a quantidade de recursos usada. Dessa forma, a empresa pode reduzir gastos com TI a médio e longo prazos.

A possibilidade de redução de custos

A cloud computing pode ajudar qualquer empresa a reduzir custos especialmente em 3 pilares: mobilidade operacional, escalabilidade dos sistemas e elasticidade da TI. Confira cada uma dessas possibilidades agora mesmo!

Mobilidade operacional

A mobilidade operacional está ligada à capacidade dos profissionais em executar suas atividades estando em qualquer ambiente sem perda de performance. Quanto maior for, mais facilmente a companhia conseguirá implementar políticas operacionais como as de home office. Com isso, custos relacionados ao deslocamento de colaboradores, por exemplo, são eliminados.

Ter uma equipe com alta mobilidade operacional pode ser um fator de destaque em várias áreas. No setor de serviços, por exemplo, empresas que conseguem criar um portfólio de soluções permitindo que os profissionais se direcionem diretamente para o ponto em que os clientes se encontram dá ao atendimento mais qualidade e competitividade.

Dessa forma, o número de potenciais clientes do negócio é ampliado. Todos os serviços prestados terão mais qualidade e, junto a isso, trarão uma experiência de ponta — algo fundamental para fidelizar consumidores e criar parcerias comerciais de longo prazo.

Em outras áreas, a mobilidade operacional pode otimizar rotinas internas, como as do help desk. Ao conseguir acessar informações a partir de qualquer lugar, técnicos conseguem atender com mais eficiência e precisão as solicitações dos usuários.

Assim, as chances de eliminar um problema com agilidade se elevam. O atendimento a usuários terá sempre um bom nível de qualidade, independentemente da forma como é executado. A empresa garante, dessa forma, que nenhuma falha operacional causará um grande impacto em sua cadeia operacional.

Rotinas operacionais mais flexíveis também podem ser implementadas buscando a redução de custos operacionais a médio e longo prazos. Por meio de práticas como a já mencionada adoção de políticas de home office, a empresa consegue diminuir seus gastos com transporte, aumentar o engajamento dos profissionais e, assim, melhorar seus índices de qualidade.

Todos esses processos podem contar com o auxílio de ferramentas de computação na nuvem para diminuir gastos e melhorar a eficiência da cadeia operacional, tornando-a mais flexível e dinâmica. O uso de plataformas de cloud storage, por exemplo, garante que os profissionais conseguirão acessar seus dados a partir de qualquer local, desde que tenham acesso à internet.

No fim das contas, é simples: a execução de ferramentas na nuvem transforma a rotina de qualquer negócio, trazendo muito mais eficiência ao dia a dia.

Escalabilidade dos sistemas

A escalabilidade operacional é a capacidade de um sistema aumentar ou reduzir seus recursos conforme a demanda do usuário. Isso permite que a empresa tenha sempre acesso garantido a aplicações de alta performance, que não são impactadas pelas limitações da infraestrutura local.

Como dá para perceber, a escalabilidade é um fator que exerce grande influência na forma como o negócio consegue atender às demandas de seus clientes e parceiros comerciais. À medida que a procura por serviços cresce (ou diminui), a empresa deve modificar seus recursos, de forma a manter a precisão dos gastos operacionais, adaptando-os ao cenário atual. Com ferramentas com alto custo-benefício, a empresa se mantém competitiva.

Ao migrar suas soluções para a nuvem, portanto, o gestor de TI consegue melhorar a forma como o empreendimento gerencia seus recursos internos. Conforme o número de usuários das plataformas corporativas é modificado, a empresa pode aumentar ou reduzir a quantidade de serviços contratada.

Como consequência, o gasto com aplicativos e licenciamento de soluções se torna mais preciso e o empreendimento sempre tem a quantidade exata de recursos computacionais necessária para atuar de maneira estratégica, impedindo gargalos operacionais ou a existência de fatores que contribuem para o desperdício de recursos.

Elasticidade da TI

A elasticidade da TI é um conceito que está diretamente conectado à ideia de escalabilidade. Em poucas palavras, uma infraestrutura de TI elástica é aquela em que o usuário não precisa se preocupar em aumentar ou reduzir a quantidade de recursos disponíveis.

Sempre que há um pico (ou um vale) de demanda, as ferramentas de computação na nuvem modificam automaticamente os recursos disponíveis. Para o gestor de TI, isso é crucial para que possa continuar focando nos principais serviços do setor, uma vez que não há necessidade de monitorar a infraestrutura continuamente em busca de problemas causados por excesso de carga de trabalho.

A transformação digital e o ambiente empresarial

O uso de ferramentas de TI como forma de reduzir gastos faz parte de uma grande tendência do mercado de tecnologia: a transformação digital, que pode ser definida como o uso conjunto de ferramentas (como o Big Data e a Internet das Coisas) alinhadas a processos de gestão estratégica e integração de sistemas. Dessa forma, as empresas se tornam mais inovadoras e competitivas.

Em um cenário em que mercados mudam com uma rapidez estrondosa, estar preparado para manter serviços de acordo com as demandas do público é um fator de destaque para as mais diversas áreas. Nesse sentido é que entra o investimento em TI, uma forma rápida e certeira de atingir esse objetivo.

Sistemas de Big Data, por exemplo, tornam as rotinas de Business Intelligence mais precisas. Já a cloud computing aumenta a flexibilidade operacional e otimiza fluxos de trabalho. Profissionais conseguem trabalhar com mais integração e menos gargalos operacionais, fazendo com que a performance de todos os serviços seja sempre máxima.

Enquanto isso, as ferramentas integradas no ambiente operacional permitem que a companhia tenha sempre uma posição estratégica no mercado. O negócio pode usar a integração de sistemas juntamente com outras ações, ampliando sua capacidade sem necessariamente aumentar seus custos operacionais. Como consequência, a empresa pode buscar novas fontes de receita e atingir metas cada vez mais ousadas.

Não tenha dúvida: ao longo dos próximos anos, a computação na nuvem terá um papel-chave para empresas de diferentes setores. Por meio dela, negócios conseguirão uma rotina de maior performance, utilizarão sistemas mais inovadores e, ao mesmo tempo, reduzirão custos. Quer ficar pronto desde agora e já começar a reduzir custos com cloud computing no seu negócio? Entre em contato com um de nossos consultores!

Summary
Como cloud computing pode te ajudar a reduzir custos?
Article Name
Como cloud computing pode te ajudar a reduzir custos?
Description
Cloud computing pode ajudar você a reduzir custos na empresa, especialmente em 3 pilares: 1.Mobilidade Operacional 2.Elasticidade da TI 3.Escalabilidade dos sistemas Para te ajudar a compreender e aplicar isso melhor, preparamos esse artigo e um eBook sobre o assunto, confira!
Author
Publisher Name
Sonda
Publisher Logo

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.

Deixar comentário.

Share This
Navegação