Gestão de Negócios

Servidor cloud e data center: qual a diferença entre eles?

Escrito por SONDA

Servidor cloud e data center: que tipo de infraestrutura adotar para a TI de uma empresa? E essa dúvida nada incomum tem sim razão de existir. Afinal, por mais que essas opções funcionem de formas bem distintas, cumprem, na teoria, uma mesma função.

É preciso lembrar que, cada vez mais, os dados armazenados nessas infraestruturas representam mais valor para os negócios. Logo, essa é uma decisão fundamental para a organização. Para fazer a melhor escolha, é crucial saber muito bem as diferenças entre os modelos.

Neste post, vamos explicar melhor o que é data center e o que é servidor cloud, apontando ainda as principais diferenças entre eles. Confira agora mesmo e tire suas próprias conclusões!

O que é data center?

Um data center nada mais é que uma estrutura física de servidores que armazena os dados e hospeda os serviços e softwares de um negócio sem nenhum tipo de virtualização. Esse data center pode ser on-premise, estando fisicamente alocado na empresa, sob sua responsabilidade, ou pode ser externo, ficando sob cuidados de terceiros.

O que é servidor cloud?

Um servidor cloud é uma forma de virtualização de infraestrutura. Nesse caso, os dados são hospedados em um conjunto de máquinas que compartilham capacidade de processamento e armazenamento e estão conectadas pela web.

Ao contrário do que muita gente acredita, um servidor cloud nem sempre será remoto. É possível que uma empresa adote a nuvem internamente, com a virtualização da sua infraestrutura física. O nome desse modelo é nuvem privada e, apesar de não ser tão versátil e escalável como a nuvem pública, contratada de terceiros, ainda é uma forma de servidor cloud válida.

Também vale citar um outro modelo de entrega chamado nuvem híbrida, que combina nuvens pública e privada para formar uma infraestrutura versátil e segura.

Qual é mais barato?

Na maior parte das vezes, a nuvem será a escolha mais barata de infraestrutura para uma empresa, especialmente se o modelo de entrega for a nuvem pública. Já quando uma empresa investe em um data center, mesmo se o dimensionamento for feito com precisão, é bem provável que boa parte do armazenamento e do processamento adquiridos não sejam usados o tempo todo. Tem-se, aí, desperdício.

Pior ainda é se o dimensionamento for equivocado. Aí vão faltar recursos e os sistemas podem sofrer com instabilidade ou indisponibilidade temporária. Com a nuvem, nada disso acontece!

Nesse caso, paga-se pelo que é efetivamente usado e, se for necessário contar com mais armazenamento, é só comprar um plano melhor! Com isso, mesmo uma empresa pequena, com necessidades mais tímidas de TI, pode pagar por um plano modesto, que vai atendê-la com exatidão. Sem desperdícios, o custo-benefício fica mais inteligente com as opções de nuvem.

Além disso, quando estrutura é remota, a empresa também economiza com energia, espaço para os equipamentos e salários dos profissionais que farão a manutenção da infraestrutura.

Qual é mais escalável?

Mais uma vez, a nuvem sai na vantagem aqui. Quando uma empresa cresce, sua infraestrutura de TI precisa acompanhar a evolução. Por isso, é importante que ela seja escalável!

Para incrementar a capacidade de um data center, é necessário investir em novos equipamentos. Em alguns casos, isso pode inclusive significar aposentar máquinas velhas e comprar substitutas para que não sobre nenhum gargalo após o upgrade. Naturalmente, esse é um processo, lento, caro e complexo.

Já quando é preciso escalar uma infraestrutura baseada na nuvem pública, basta pagar por um plano melhor! A entrega da capacidade maior será quase instantânea e o valor será diretamente proporcional ao que foi contratado. Logo, escalar com a nuvem é mais rápido, prático e barato que escalar usando um data center.

Qual é mais seguro?

É difícil dizer qual das opções é a mais segura em termos absolutos, mas existem pontos fortes e fracos em ambas. Um servidor cloud é administrado por uma empresa que tem o foco do seu negócio nesse tipo de solução. Logo, seu investimento em segurança digital é imensamente superior ao de qualquer negócio que não seja da mesma área. Com isso, a nuvem normalmente tem uma proteção maior contra malwares e ataques DDoS, por exemplo.

Por outro lado, como se trata de um serviço web, o controle de acesso na nuvem normalmente é feito com credenciais, como login e senha. Assim, se um invasor consegue essas informações de acesso, pode adentrar os sistemas da empresa, causando danos ou roubando dados importantes.

Ainda que existam mecanismos para melhorar a segurança, como a autenticação em 2 passos, é inegável que um data center físico que se limite apenas à rede local consegue criar uma barreira física que dificulta esse tipo de ação.

É justamente por isso que algumas empresas, receosas em relação a seus dados, adotam data centers tradicionais ou as nuvens privada e híbrida, de forma que o acesso aos sistemas fique bem restrito.

Mas é importante destacar que esse isolamento da rede não é uma solução mágica, que resolve todos os problemas! Mesmo sem contato direto com a internet, um data center está em contato com máquinas que poderão acessar a web, facilitando a entrada de malwares e outras ameaças.

Qual tem a melhor performance?

O que definirá a performance de uma infraestrutura não é exatamente se ela está na nuvem ou se é um data center tradicional. Um data center com equipamentos muitos bons pode deixar um plano mais simples da nuvem no chinelo, por exemplo. Logo, dependendo do valor investido, qualquer uma das opções pode entregar uma boa performance.

A diferença aqui é que o servidor cloud pode ser mais estável, pois se a demanda alcançar o que for contratado, aumentar a capacidade para atendê-la é mais simples.

Além do mais, a nuvem é sempre mais barata que um data center on-premise. Um investimento nela permitirá, portanto, a disponibilização de uma infraestrutura mais potente que a de um data center que tenha recebido exatamente os mesmos valores.

E agora que você já conhece as principais diferenças entre servidor cloud e data center, que tal entrar em contato conosco para descobrir qual é a melhor escolha para seu negócio?

 

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.