Gestão de Negócios Tecnologia da Informação

Software as a Service: 6 coisas que você precisa saber

Escrito por SONDA

O mundo dos negócios é cada dia mais impactado pelas mudanças tecnológicas. Atualmente, já existem soluções digitais para reduzir custos, melhorar a gestão empresarial, agilizar práticas e otimizar processos. Em meio a tudo isso, uma modalidade de inovação tecnológica que vem se popularizando em proporções impressionantes é o Software as a Service.

Mas você sabe exatamente o que é o SaaS, como ele funciona e por que vem ganhando tanto espaço nos últimos anos? Pois vamos esclarecer todas essas dúvidas a partir de agora. Então confira!

1. O que é Software as a Service?

Há até bem pouco tempo, quando uma empresa queria contar com um programa de computador para melhorar as práticas do negócio, precisava comprar uma cópia licenciada daquele programa. Em seguida, o software era instalado na máquina adequada e seu funcionamento passava a ser responsabilidade da empresa. Mas esse cenário já está mais que ultrapassado.

Com o Software as a Service, a comercialização e distribuição de serviços digitais não inclui mais a compra de uma cópia do programa. O que se tem, hoje, é a garantia de que a empresa ou o usuário particular conseguirá usar o serviço por meio de qualquer dispositivo que esteja conectado à internet. Traduzindo: você não compra mais o programa, mas a capacidade de conseguir usar seus recursos de qualquer lugar do mundo.

Com isso, a própria forma de pagamento por soluções digitais também muda. Sai a aquisição da licença do produto para dar lugar ao pagamento de anuidades ou mensalidades referentes aos serviços efetivamente usados. Não parece bem mais prático?

2. Qual a relação entre SaaS e a nuvem?

A verdade é que o Software as a Service nem sequer existiria se a computação na nuvem não tivesse se desenvolvido tanto nos últimos anos. Graças a essa evolução, hoje é muito seguro realizar tarefas diretamente na internet, guardar arquivos ou mesmo trocar informações com outros usuários sem o risco iminente de vazamentos.

Os SaaS usam, portanto, todo o poder da nuvem para funcionar. Eles até podem requisitar a instalação de algum software opcional na sua máquina, mas, em geral, são completamente acessados pelo navegador de internet do seu computador ou por aplicativos especializados.

Com isso, na medida em que só precisa contar com um dispositivo com acesso à internet para usufruir da sua solução, o usuário ganha mobilidade. A empresa, por sua vez, ganha ao economizar recursos que seriam necessários para armazenar esse tipo de programa de forma local. Lembrando que, mesmo que os softwares como serviço normalmente sejam leves, exigem programas com um alto poder de processamento e armazenamento. E isso passa a ser responsabilidade do seu fornecedor na nuvem.

3. Por que dizem que o SaaS é escalável?

Um dos grandes trunfos do Software as a Service é sua capacidade de se adequar às diferentes demandas das empresas, seja em especialidade ou em robustez. Dá-se a isso no nome escalabilidade.

De forma bem simplificada, podemos dizer que empresas de grande porte, que demandam serviços em larga escala, precisam contratar diferentes serviços de um software. Assim, seu custo mensal ou anual será maior. Por outro lado, empresas menores precisam de menos recursos e, portanto, contam com preços mais convidativos.

É preciso ressaltar que essa capacidade de adaptação do software às necessidades da empresa também é válida para momentos de transformação, já que novos serviços podem ser integrados ao software de acordo com o surgimento dessa necessidade na empresa. Assim, quando o negócio mudar de patamar, não precisará descartar todos os programas que usa para montar uma nova estrutura tecnológica. Nesse caso, só é necessário agregar outros módulos ou soluções ao software já adotado.

4. Como o SaaS pode reduzir custos?

Como mencionamos no tópico anterior, o Software as a Service se encaixa perfeitamente na demanda de qualquer empresa, independentemente do seu porte ou da sua área de atuação. Isso significa que todo recurso comprado será usado, acabando com o desperdício de soluções que costumava acontecer, por exemplo, na compra da licença de um software.

A propósito, o SaaS também acaba com a necessidade da empresa de comprar várias licenças de um mesmo produto para instalá-lo em diferentes máquinas. Afinal de contas, a solução está ao alcance de todos os usuários cadastrados, desde que tenham acesso à internet!

Por fim, é importante lembrar que o SaaS dispensa grandes investimentos em infraestrutura física, como servidores e centrais de armazenamento de dados. E aí está uma grande vantagem, uma vez que esse tipo de investimento costuma ser alto — tanto para a instalação como para a manutenção.

5. Como fazer a manutenção do SaaS?

Um dos grandes problemas das soluções em softwares tradicionais é que sua instalação e constante manutenção dependem do deslocamento de profissionais qualificados. Isso demanda a contratação de um serviço de TI permanente ou a terceirização desse serviço, o que, de uma forma ou de outra, representa mais custos.

Com o SaaS, por outro lado, toda a manutenção do programa é feita pelo servidor na nuvem. Além da empresa que oferece o software ser 100% responsável por encontrar e corrigir erros, melhorando os serviços de forma constante, ela ainda trabalha com atualizações rotineiras do seu produto. Os custos com pesquisa e inovação para a melhoria do serviço já estão embutidos nas mensalidades ou anuidades. Por essas e outras é que um software hospedado na nuvem muito dificilmente ficará obsoleto.

6. Que soluções funcionam como SaaS?

Você pode até não ter reparado, mas os softwares como serviço certamente já estão presentes em sua vida. Um bom exemplo é a Netflix. Pagando uma mensalidade, o usuário tem acesso a um extenso catálogo de filmes que pode ser acessado de qualquer dispositivo com acesso à internet. Outros SaaS que já marcam presença são o Spotify, o Office 365 e até mesmo o Skype, muito importante no mundo empresarial. Os SaaS não se restringem, portanto, aos usuários domésticos. Grandes programas organizacionais também são oferecidos dessa maneira.

O Enterprise Resource Planning (ERP), por exemplo, é uma solução que coleta dados sobre o negócio de maneira integrada e automática, oferecendo aos gestores informações claras em forma de gráficos, relatórios e tabelas que facilitam a tomada de decisões estratégicas.

Da mesma forma, softwares CRM, de gerenciamento de relacionamento com clientes, também estão disponíveis nessa modalidade de distribuição, permitindo a análise de dados sobre clientes e leads de maneira ágil, segura e a partir de qualquer lugar do mundo — desde que ofereça uma conexão com a internet, claro!

Viu como o Software as a Service pode não apenas ser um importante aliado para sua empresa como também facilitar sua vida pessoal? E se gostou deste conteúdo, não deixe de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de mais informações igualmente valiosas!

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.