Fiscal Gestão de Negócios

Solução de governança fiscal e compliance: saiba promover agilidade e redução de custos

Escrito por SONDA

Cada empresa precisa encontrar uma maneira própria de lidar com a legislação fiscal para não colocar suas operações e sua lucratividade em risco. Nesse âmbito, além de conhecer as normas que regem as cobranças de tributos e impostos no Brasil, também é preciso garantir que as práticas corretas não só sejam adotadas, mas efetivamente funcionem dentro do seu negócio. Afinal, uma empresa descuidada com suas obrigações com o fisco vive em constante risco jurídico e não transmite segurança para clientes, funcionários, acionistas ou potenciais investidores.

Por essas e outras é que cada vez mais empresas vêm apostando na governança fiscal e compliance. Mas você sabe o que essa expressão significa e como ela deve funcionar no seu negócio? Descubra a seguir!

Entendendo sua importância

Um investimento em segurança: é isso que uma solução de governança fiscal e compliance traz para seu negócio. Trata-se de mapear todas as atividades e quaisquer processos empresariais que possam gerar riscos jurídicos, apontando as práticas corretas que devem ser adotadas.

De um lado, esse tipo de gestão contribui para que a empresa se enquadre corretamente na complicada legislação fiscal brasileira, afastando-se de problemas como multas e encargos excessivos. Por outro lado, garantir a conformidade do negócio em relação ao fisco aumenta a capacidade de identificação e correção de desvios por parte da empresa, além de melhorar a maneira como o negócio é visto por stakeholders.

Essa prática é tão estimulada que investidores e até mesmo instituições de crédito procuram analisar as políticas de governança fiscal e compliance de toda e qualquer empresa para estabelecer parcerias. E ainda vale lembrar que a padronização dos processos para que fiquem todos dentro da conformidade aumenta a produtividade do negócio, uma vez que estabelece os passos a serem tomados nas mais diversas situações.

Colocando em prática

A governança fiscal e compliance deve envolver todos os setores de uma empresa e estar presente na vida cotidiana de cada funcionário. Mesmo assim, vale lembrar que cabe aos gestores estabelecer as regras de conformidade do negócio, além de tomar algumas decisões que afetam a governança fiscal. Para não se perder na implantação da governança na sua empresa, fique atento aos seguintes aspectos:

Revisão de contratos

Cada contrato assinado pela organização deve ser objeto de análise para a verificação de sua consistência jurídica e fiscal. Isso vale tanto para aqueles assinados com fornecedores como para os firmados com clientes, funcionários, executivos e acionistas. Lembre-se de que o contrato é o primeiro documento legal de diferentes tipos de processos, além de servir como garantia.

Mapeamento de riscos

Sua empresa precisa entender que existem áreas do negócio que estão mais expostas a riscos de quebra de conformidade. Elas podem estar na negociação com fornecedores, no contrato com órgãos governamentais ou mesmo na cessão de benefícios para empregados ou no pagamento de acionistas. Faça um mapeamento dessas possibilidades!

Padronização de processos

Com as áreas de riscos mapeadas, estabeleça as práticas que devem ser estabelecidas em cada uma dessas atividades, definindo limites de atuação claros e estabelecendo processos verificáveis. Assim consegue garantir a execução de tarefas dentro da política interna da empresa, da legislação fiscal e, ainda, dentro dos parâmetros éticos que devem ser respeitados.

Verificação da conformidade

Com as políticas e os processos para aplicação da governança fiscal estabelecidos, é preciso verificar se eles estão, de fato, sendo cumpridos. Para isso, estabeleça uma rotina de acompanhamento das áreas sensíveis e defina um processo de auditorias internas e externas, a fim de garantir que o que foi planejado vem, de fato, dando resultados no dia a dia empresa.

Não se esqueça de estabelecer ferramentas de prevenção de desvios, como ouvidorias e canais de denúncia, bem como de punição aos erros. Essas penalidades podem começar em advertências, passando por demissões até chegar a processos legais contra aqueles que cometeram abusos.

Aproveitando a tecnologia

Até aqui, falamos de ações que sua empresa deve tomar e de políticas que devem ser adotadas para garantir a lisura dos seus processos fiscais, certo? Para ser efetiva, porém, a governança fiscal também precisa ser apoiada em boas ferramentas. Hoje em dia, é possível usar softwares voltados para esse fim que automatizam processos e agilizam o reconhecimento de riscos e desvios, além de permitir que a empresa tenha controle absoluto sobre seus setores sensíveis.

Um software para apoiar a governança fiscal pode ser integrado aos chamados ERPs — sistemas de gestão corporativa. Dessa forma, o recurso consegue usar toda a informação coletada pelo ERP para ajudar no cumprimento das obrigações fiscais. Como o ERP trabalha de maneira integrada, monitorando processos de todas as áreas do negócio, o sistema de compliance consegue enxergar cada ação que exige o cumprimento correto de ações fiscais — seja na esfera federal, na estadual ou na municipal.

Mas o alcance desse tipo de solução não fica apenas na visualização das obrigações fiscais de um negócio, viu? Por meio do próprio software, o gestor pode fazer lançamentos de impostos, além de preencher e corrigir os livros fiscais, que são obrigações da empresa. O controle do sistema em relação aos dados fiscais é feito em tempo real, permitindo o controle diário das operações. E também é possível contar com um calendário fiscal, facilitando o planejamento da gestão interna e visualizando os recursos necessários para que a empresa se mantenha dentro da lei.

Nesse momento, vale lembrar que a legislação brasileira, que já é naturalmente complexa, ainda vive em constante mudança. E aí está mais um motivo para contar com uma solução tecnológica eficiente, que se adapta automaticamente à legislação em vigor de acordo com o estado em que sua empresa atua e com a natureza do negócio.

Outra vantagem dos sistemas de compliance e gestão fiscal é que eles são baseados na nuvem. Por isso, podem ser acessados via qualquer dispositivo com acesso à internet, de qualquer lugar e a qualquer hora. Dispensando investimentos em grandes estruturas físicas de servidores, a empresa economiza. Os gestores ganham mobilidade, tornando-se capazes de tomar decisões estratégicas com base em dados seguros de qualquer lugar do planeta. Isso sem contar que a computação na nuvem não é apenas prática e ágil, mas também é segura, com os dados do negócio só podendo ser acessados por quem tem as credenciais necessárias.

Que tal ler mais informações sobre gestão empresarial e melhorar a produtividade do seu negócio? Então assine a nossa newsletter e receba conteúdos ricos diretamente na sua caixa de e-mails!

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.

Deixar comentário.

Share This
Navegação