Fiscal

Tecnologia na educação: como incorporar na gestão da instituição?

Escrito por SONDA

Informatizar processos ligados à gestão educacional significa otimizar o tempo dos profissionais da área e ainda facilitar a comunicação tanto interna, entre colaboradores, como externa, entre escola, pais e alunos. Por essas e outras é que diversas ferramentas vêm sendo desenvolvidas para o setor, sempre pensando em automatizar processos e, com isso, tornar o ambiente de gestão educacional muito mais dinâmico e organizado.

Se você entende essa necessidade, mas ainda não sabe ao certo por onde começar, não se preocupe. Listamos aqui algumas tecnologias que podem ser implantadas na sua instituição escolar desde já. Pronto para realmente entender o papel da tecnologia na educação?

Migração para a nuvem

São diversas as empresas que escolhem migrar seus documentos para a nuvem para melhorar a segurança dos dados e o desempenho das máquinas. Além de ocupar espaço na memória, manter muitos arquivos em computadores ou dispositivos ainda os deixa vulneráveis ao vazamento de informações.

O armazenamento em nuvem permite que os dados fiquem em um ambiente seguro, ainda podendo ser acessados por outras pessoas (desde que devidamente autorizadas) a partir de qualquer equipamento conectado à internet. Hoje em dia, são várias as empresas que trabalham com programas específicos de implantação dessa tecnologia com total segurança. Que tal descobrir seus benefícios?

Sistemas de troca de informações

Se existe um ponto crucial para o bom funcionamento das instituições educacionais é a comunicação, que anda lado a lado com os processos de transmissão e assimilação de conhecimento.

Muitas vezes, a comunicação entre professores e alunos não acontece da forma como deveria. Mas pense bem: como sanar dúvidas quando não se sabe sequer que elas existem? Na prática, a adoção de um sistema para promover a interação entre professores, alunos e até mesmo pais otimiza o processo de aprendizagem. Assim, dúvidas podem ser respondidas e informações importantes repassadas com rapidez e precisão.

Ferramentas de videoconferência

Os cursos a distância estão cada vez mais em alta, não é mesmo? Mas atenção: não estamos dizendo que aprender por vídeos seja a melhor opção, já que não dá para dispensar o contato entre professor e aluno. Mas o que acha de aulas por videoconferência? Dessa forma, diversas pessoas podem participar, ainda que estejam em locais diferentes, e ainda existe a possibilidade de interação.

Reuniões também podem ser realizadas com a ajuda dessas ferramentas, evitando assim problemas relacionados a deslocamentos. É claro que essa tecnologia não substitui totalmente as aulas e os encontros presenciais, mas pode ao menos auxiliar em alguns eventos específicos.

Aplicativos e plataformas

Imagine proporcionar aos alunos a prática por meio de exercícios feitos via internet. Nesse caso, as atividades seriam disponibilizadas em locais específicos, acessados pelos alunos a partir de seus computadores próprios ou até mesmo pelos celulares. Assim que terminados, os resultados ficam disponíveis para o professor. Estes aplicativos e plataformas para auxiliar o ensino, além de centralizar e controlar em painéis centralizados a assiduidade dos alunos para realizar os testes, também permite que a ferramenta seja unificada e mantenha todo o histórico para emissão de notas.

Servidores virtuais

Os servidores virtuais guardam informações em sistemas de armazenamento muito mais confiáveis, não necessariamente com discos físicos comuns que são suscetíveis a falhas. O uso de virtualização garante o uso otimizado dos servidores, garantindo que não seja necessário muito investimento para atender a demandas do dia-a-dia.

Mas o que precisava de cerca de 5 máquinas para ser instalado há algum tempo, por exemplo, hoje pode funcionar a partir de um único servidor físico e diversas máquinas virtuais, todas configuradas de acordo com as necessidades do cliente. Dessa forma, novos módulos e funções podem ser implantados sem investir demais em equipamentos e processos de manutenção.

Para você ter uma ideia, existem universidades que já recorrem a esse recurso e agora colhem os frutos de uma boa escolha. Quando a instituição aposta na otimização de sistemas internos, tanto gestores como professores e alunos saem ganhando.

Sistema de gestão escolar

Toda empresa precisa de um sistema de gestão, certo? Pois com as instituições de ensino não é diferente! Afinal, elas também contam com processos administrativos internos que englobam finanças, compras, tributos e assim por diante.

Além disso, vale lembrar que o processo educacional costuma ser bastante burocrático, com muitas informações acadêmicas a guardar, desde controles de presença a notas. Por essas e outras, contar com um sistema que ofereça módulos para a realização de todos esses acompanhamentos parece perfeito.

Além das rotinas administrativas inerentes a toda instituição, é necessário medir como está a frequência dos alunos, bem como as notas precisam ser computadas para facilitar consultas posteriores. Já imaginou se o professor precisasse recorrer à memória ou a anotações em papel para medir o desempenho de cada aluno?

Um sistema de gestão escolar que conte com módulos também para a inserção desses dados permite que consultas sejam feitas com agilidade e eficiência. Dessa forma, professores e gestores passam a se preocupar apenas com os resultados e a otimização do seu trabalho, promovendo assim um melhor aproveitamento do tempo, direcionando as ações humanas a questões mais estratégicas.

Inserção de jogos

Gamificação é o nome que se dá à inserção de jogos no ambiente escolar. Mas não estamos falando de meras brincadeiras, ok? Ao contrário do que muita gente pode pensar, é sim possível potencializar o aprendizado a partir dos jogos. E a tecnologia ajuda a implantar jogos capazes de criar ambientes interativos que tornam o aprendizado muito mais interessante.

Na prática, é mais que natural que alunos não gostem de determinadas matérias. No entanto, quando resolvem exercícios por meio de brincadeiras, essas mesmas disciplinas antes vistas como impossíveis passam a parecer mais fáceis! Uma boa ideia, portanto, é usar a tecnologia em laboratórios de informática a fim de permitir que os estudantes participem de jogos que, além de incentivarem a interação e o trabalho em equipe, ainda ajudam a fixar a matéria aprendida em aula.

Pode saber: a rejeição a um jogo certamente será bem menor que a objeção a determinados exercícios. Dessa forma, crianças e adolescentes são estimulados a despertar o interesse pela matéria. E, como você viu, a mistura de estudo e entretenimento pode ser promovida nesse enredo graças à tecnologia.

No fim das contas, é fato: a tecnologia vem se tornando uma aliada cada vez mais poderosa das instituições de ensino. E o melhor: ela pode ser aplicada de inúmeras formas diferentes, funcionando para todas as idades e todos os níveis escolares.

Percebeu como a tecnologia na educação é capaz de dar um novo sentido às diversas formas de aprendizado? Se você gostou do nosso post de hoje, assine a nossa newsletter para receber mais conteúdos como este diretamente na sua caixa de entrada!

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.