Tecnologia da Informação

Terceira plataforma: qual sua importância para a transformação digital?

Escrito por SONDA

Na última década, a tecnologia da informação iniciou um dos seus ciclos de mudanças mais rápidos já registrados. A popularização dos smartphones, da Internet das Coisas, da internet mobile e da computação em nuvem proporcionou a criação de novos serviços, mais inteligentes e conectados.

Isso mudou profundamente a forma como empresas organizam a sua infraestrutura de TI. Conhecido como Terceira Plataforma, esse novo arranjo organizacional é complexo e exige uma nova postura de gestores de TI. Se você quer saber mais sobre o tema e como essa tendência impacta a sua empresa, veja o nosso post de hoje!

O que é a terceira plataforma

A terceira plataforma é um conceito de tecnologia que ganhou força nos últimos anos entre os especialistas em TI. Ele foi cunhado pela empresa de consultoria IDC em 2010 como uma forma de designar os ambientes de TI convergentes, que integram diferentes soluções e tecnologias em uma única estrutura.

Esse tipo de infraestrutura deve ter como foco o uso de ferramentas de computação na nuvem, redes sociais, Big Data e estratégias de TI que garantam mais mobilidade operacional. Além disso, a Internet das Coisas também pode ser incorporada a essa abordagem do negócio, tornando os processos mais flexíveis e integrados.

Nesse cenário, a tecnologia é vista como uma parte fundamental do negócio. Ela não é apenas o meio que dá a cada profissional a capacidade de executar as demandas de seus clientes e parceiros comerciais com maior agilidade, mas também uma ferramenta de inovação. Para as empresas, a terceira plataforma é uma forte aliada para a criação de diferencial competitivo e peça-chave para a busca por novas oportunidades de vendas.

Quais os impactos da terceira plataforma no ambiente corporativo

A terceira plataforma abre espaço para que o negócio consiga inovar por meio de diferentes tecnologias. A companhia terá um conjunto de ferramentas que facilitam a criação de um ambiente mais inovador, com o uso de aplicações móveis, Big Data, a Internet das Coisas e a computação na nuvem. Dessa forma, os produtos e serviços do empreendimento estarão mais alinhados com as tendências do mercado, proporcionando mais competitividade para a empresa.

Essa é uma tendência que estará cada vez mais presente no ambiente corporativo. De acordo com a IDC, até 2020 aproximadamente 90% do investimento em tecnologia estará ligado à terceira plataforma.

O investimento em mobilidade, por exemplo, é impulsionado pelo grande número de aparelhos mobile disponíveis no mercado. Segundo a Anatel, em janeiro de 2017 o número de linhas ativas estava acima de 243 milhões. Mais da metade desses dispositivos são smartphones e tablets que podem conectar-se a redes 3G e 4G/LTE.

Além disso, segundo a Ericsson, fabricante de tecnologias mobile, até 2020 90% da população mundial terá acesso a smartphones com uma conexão de rede ativa. Esses números representam não só uma oportunidade para negócios atenderem a novos mercados, mas também pressionam gestores a terem processos com maior mobilidade e conectividade.

Nesse cenário, a computação na nuvem permite que companhais atendam a demandas com mais agilidade e precisão. Profissionais terão as suas ferramentas de trabalho disponíveis em diferentes ambientes a qualquer momento.

Já as redes sociais passam a contar com um novo número de postagens. O compartilhamento de dados é simplificado, ampliando a quantidade de informações que podem ser utilizadas para processos de análise de mercado.

Junto a isso, temos a Internet das Coisas. O uso de sensores e gadgets inteligentes permite que o ambiente corporativo seja mais automatizado e eficiente. Além disso, usuários de serviços digitais passam a compartilhar mais registros com parceiros comerciais, o que também contribui para o boom de informações digitais que podem ser integrados a rotinas de análise de dados.

Para isso, entra em cena o Big Data. Essa tecnologia permite que dados sejam tratados como um fator estratégico, dando aos analistas de marketing e vendas a capacidade de integrar um grande número de registros nos seus processos de análise e, assim, decifrar tendências e movimentações do mercado com maior precisão e segurança.

A nuvem também permite que os negócios possam manter as suas soluções com um maior grau de disponibilidade. Isso é crucial para que o atendimento de demandas seja bem executado: sendo mais escaláveis e acessíveis, as ferramentas internas poderão ser utilizadas sempre que forem necessárias com o máximo de desempenho.

Criando um ambiente de trabalho mais inovador

A busca por mais mobilidade é uma das principais tendências em TI dos últimos anos. Soluções baseadas na nuvem e a Internet das Coisas, junto com as conexões 3G/4G e os smartphones proporcionam o ambiente ideal para que serviços e produtos sejam fornecidos em novas plataformas e em diferentes locais com mais agilidade e inovação.

Nesse cenário, o investimento na terceira plataforma deve ser visto como um fator estratégico. Empresas que adotarem essa abordagem terão mais capacidade para inovar e atender a demandas de clientes e parceiros comercias em um prazo menor.

O ambiente de TI será reorganizado para atender a diferentes demandas, em prazos menores e com mais flexibilidade. A computação na nuvem mantém os serviços internos mais escaláveis, baratos e acessíveis. Já o Big Data amplia as chances de analistas preverem corretamente tendências de mercado e, assim, colocar o negócio a frente dos concorrentes.

Isso não é possível sem o auxílio das redes sociais e a Internet das Coisas. Juntas, essas duas tendências tornam processos mais flexíveis e ampliam drasticamente os dados que podem ser avaliados por gestores nos processos de tomada de decisão.

Com uma infraestrutura de TI convergente e integrada é possível reduzir custos, aumentar a eficiência dos processos internos. Assim, em um ambiente em que informações circulam com mais agilidade e integridade, profissionais podem colaborar para gerar serviços mais inteligentes e competitivos.

Hoje, a transformação digital é uma realidade do mercado brasileiro. Ela será crucial para que empresas possam disputar presença de mercado em mais ambientes, atingindo um público mais conectado e diversificado. Você está pronto?

Se você quer ficar por dentro dessas tendências e receber as novidades do nosso blog, assine já a nossa newsletter!

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.