Tecnologia da Informação

TI bimodal: o que é, que vantagens traz e como implementar?

Escrito por SONDA

Não tem como negar: os últimos anos foram marcados por grandes mudanças no ambiente corporativo. Graças à tecnologia, as empresas conseguem hoje flexibilizar suas políticas operacionais, reduzindo prazos e aumentando seu nível de inovação.

O novo cenário também revolucionou a forma como os negócios administram seus processos de gestão de TI. Surgiu assim a necessidade de usar métodos tradicionais e ágeis em um único ambiente de trabalho, seja para garantir um retorno maior sobre o investimento feito ou para otimizar prazos.

Chamado de TI bimodal, esse conceito já é apontado por especialistas em TI como uma das formas mais eficazes de administrar recursos computacionais. Curioso para saber mais sobre o assunto? Então acompanhe os próximos tópicos!

No que consiste a TI bimodal?

Usado para conceituar uma nova forma de gerenciar recursos tecnológicos, unificando modelos de gestão tradicionais com outros mais flexíveis para dar agilidade e inovação ao ambiente corporativo: foi esse o conceito de TI bimodal apresentado em 2013 pelo grupo Gartner, uma das principais consultorias de TI do mercado.

Em outras palavras, podemos dizer que a TI bimodal é um modelo de gestão de TI híbrido, que unifica estratégias modernas e consolidadas para atingir a performance desejada. Com essa inovação, a empresa consegue atender rapidamente a demandas do mercado ao mesmo tempo em que usa processos de gestão menos flexíveis para manter recursos internos disponíveis e sem erros.

Diante de tudo isso, podemos destacar como os 2 pilares da TI bimodal o emprego de métodos tradicionais de gestão e a adoção de rotinas de gestão e operação flexíveis. Continue acompanhando para entender melhor!

Emprego de métodos tradicionais de gestão

Uma das bases da TI bimodal é formada por processos de gestão tradicionais, estratégia aplicada aos sistemas e à infraestrutura existente para agregar valor, reduzir riscos e otimizar o desempenho. Nesse caso, busca-se valorizar o SLA firmado com prestadores de serviços, ganhar performance a médio e longo prazos e otimizar processos de governança adotando um ciclo de mudanças longo, que trabalha para aproveitar ao máximo cada recurso disponível.

Adoção de rotinas de gestão e operação flexíveis

Essa segunda base da TI bimodal atua com foco na geração de inovação e no aumento da capacidade de resposta a demandas do mercado. Assim, a empresa terá processos mais ágeis, voltados para resultados e experiência dos usuários. A busca aqui é por agilidade e flexibilidade operacional, com a incorporação de metodologias como Kanban e a Agile para reduzir prazos, integrar setores e eliminar erros.

Dessa forma, a infraestrutura de TI se transforma em uma parceira estratégica da empresa em vez de permanecer apenas como uma ferramenta de trabalho, integrando-se diretamente às abordagens de mercado do empreendimento.

Quais são as principais vantagens desse modelo?

A implementação da TI bimodal traz uma série de benefícios para o negócio, permitindo que a empresa reduza prazos, amplie sua performance e agregue valor a seus serviços de TI. Entre os principais impactos causados por essa estratégia, podemos destacar:

Maior capacidade de lidar com mudanças do mercado

A TI bimodal dá ao negócio uma maior capacidade para lidar com as mudanças do mercado. Como as rotinas de TI passam a ser flexibilizadas, a empresa consegue responder a demandas de clientes e parceiros comerciais com muito mais agilidade e precisão.

Aumento da competitividade

Investindo na TI bimodal, o negócio passa a contar com rotinas que agregam valor a seus serviços e produtos. Com isso, gera inovação e capacidade de atendimento a um grande número de consumidores e parceiros comerciais sem que a qualidade de suas atividades sofra impactos negativos.

Melhor direcionamento das rotinas internas

A flexibilização de processos e a mudança na cultura interna do empreendimento traz para o ambiente corporativo uma rotina de trabalho mais eficaz. O direcionamento de processos será feito de acordo com as demandas dos usuários, gerando menos erros e desperdícios de recursos. Como consequência, a produtividade é ampliada, o que impacta diretamente nos lucros do empreendimento.

Aumento da inovação

A mudança da cultura interna também torna o ambiente corporativo mais inovador. Nesse cenário, os profissionais têm as ferramentas e o incentivo para flexibilizar sua forma de atuação e, assim, atingir melhores resultados a médio e longo prazos.

Como implementar a TI bimodal?

A implementação de uma estratégia de gestão baseada no conceito de TI bimodal exige da empresa uma mudança profunda em suas políticas internas e na maneira como seus recursos são gerenciados. O setor responsável pela administração dos recursos computacionais deve focar em múltiplos processos, colocando a TI no centro das rotinas internas e de suas abordagens de mercado. Para que isso seja possível, alguns pontos devem ser considerados. Acompanhe e aprenda!

Financiamento de recursos

É importante pensar no financiamento dos recursos de TI necessários para a mudança dos padrões operacionais. Lembre-se de que, como a TI bimodal é uma realidade que veio para ficar, o investimento nessa estratégia deve ser visto como um fator estratégico.

Engajamento e autonomia dos profissionais

Para que os profissionais possam aumentar seu nível de inovação e encontrar novas formas de TI, é preciso criar mecanismos que facilitem a implementação de diferentes rotinas de trabalho. Nesse sentido, a autonomia é ponto-chave: técnicos e analistas devem estar liberados para tentar novas soluções no seu dia a dia.

Criação de parcerias estratégicas

A TI bimodal tem um grande foco na integração de processos e na atuação com parceiros estratégicos. Por isso, a empresa deve buscar especialistas, consultores e prestadores de serviço para otimizar suas rotinas e ter um melhor direcionamento das suas estratégias.

Como esse modelo operacional gera um crescimento nas demandas do setor de TI, o negócio precisa flexibilizar suas rotinas. O outsourcing de TI, por exemplo, pode ser adotado para que os profissionais internos consigam atuar apenas em atividades relacionadas com o core business do negócio. Assim, os resultados são ampliados e a empresa se torna mais competitiva ao mesmo tempo em que reduz custosoperacionais.

Integração de equipes

Muitos gestores optam por trabalhar com equipes que focam sua distribuição de tarefas de acordo com as rotinas do setor. É possível se voltar, assim, a rotinas de suporte, manutenção e gestão de segurança de dados.

Para que a TI bimodal gere o impacto desejado na rotina do negócio, o gestor precisa integrar times e criar canais de comunicação contínua. Isso reduz o tempo necessário para que mudanças sejam assimiladas, além de diminuir riscos. Dessa forma, caso novas maneiras de atuação sejam encontradas, todo o time poderá rapidamente implementá-las à nova rotina.

Por fim, sabia que a TI bimodal não é a única tendência para o mercado corporativo que pode ser adotada por sua empresa? Aproveite para conhecer outras!

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.

Deixar comentário.

Share This
Navegação