Gestão de Negócios

Entenda como a virtualização é parte fundamental da transformação digital

Escrito por SONDA

Os avanços tecnológicos vêm transformando as nossas vidas desde a maneira como recebemos informações até a forma como cultivamos nossas relações sociais. Mas a verdade é que a tecnologia também gera um impacto que vai além do pessoal: ela vem modificando a maneira como os negócios funcionam!

Já reparou como o cloud computing melhorou a forma como acessamos arquivos, tornando as organizações mais dinâmicas e móveis? E o marketing digital, que vem estreitando laços entre clientes e empresas? Há também os softwares ERP, que alavancam a gestão corporativa! O cenário é mais que promissor.

Pensando em tudo isso, resolvemos falar neste post sobre outro importante aspecto da transformação digital: o uso de servidores. Hoje, é possível fazer a virtualização desses equipamentos e, com isso, trazer impactos positivos para sua empresa. Quer descobrir como? Continue lendo!

Entenda a virtualização

De uma maneira bastante simples, podemos dizer que todo serviço informático precisa de 2 coisas: um sistema (série de programas funcionando de forma orgânica) e um hardware (ferramenta física onde o sistema será executado).

O problema é que, em ambientes corporativos, é preciso usar uma série de diferentes sistemas que, por sua vez, podiam demandar uma certa diversidade de hardwares. Nesse contexto, era preciso ter uma máquina para conectar à internet, outra para realizar backups, outras para permitir o acesso dos colaboradores e assim por diante. Quanto mais complexo era o serviço, maior também era a demanda por hardware.

Mas e se todos os softwares pudessem ser executados em uma única máquina? É exatamente isso que a virtualização faz: dá a um hardware a capacidade de executar diferentes sistemas de uma só vez, mais ou menos como seu computador pessoal consegue executar diferentes programas.

Economize espaço e energia

Há até bem pouco tempo, era comum que, em empresas de grande ou médio porte, houvesse um espaço dedicado a abrigar os servidores necessários para manter a estrutura de TI funcionando.

Nesse local, ficavam diversas máquinas que só eram acessadas por técnicos qualificados e precisavam ser refrigeradas de forma constante. Tudo isso gerava um custo enorme tanto de energia, para manter a temperatura adequada, quanto de espaço físico, que era uma espécie de ponto morto, onde nenhuma outra atividade podia ser exercida.

Com a virtualização de servidores, usar todo esse espaço da empresa para manter o hardware ligado e refrigerado perdeu completamente o sentido. Como os sistemas são centralizados em poucos equipamentos (por vezes, até mesmo em um só), podem ser acomodados de maneira infinitamente mais econômica.

Centralize seus recursos

Cada hardware exige um cuidado específico de manutenção, assim como protocolos personalizados de acesso e até mesmo uma determinada temperatura para que funcione adequadamente. Isso sem falar em atualizações e recompra de peças, processos específicos para cada tipo de equipamento.

Por tudo isso, manter vários servidores demanda um serviço de TI mais amplo, custoso e complexo. Virtualizando os equipamentos em uma única máquina, porém, você passa a ter uma infraestrutura muito mais simples tanto do ponto de vista técnico quanto da perspectiva gerencial. Nesse caso, todas as informações de que você precisa para tomar boas decisões estão disponíveis em um único ponto. Bem mais fácil, não concorda?

Em um mundo que vive intensamente a transformação digital, a centralização de recursos traz inúmeras vantagens. A cada momento, novos processos, protocolos e programas são criados, o que pressiona os gestores a absorverem as inovações em seu próprio ambiente de trabalho. É claro que isso também fica mais ágil e barato ao ser realizado em um único hardware!

A centralização também diminui a necessidade dos técnicos de TI terem que lidar com sistemas fragmentados, mais ou menos o que acontece quando precisamos migrar de um computador com Windows para um com o Linux. Em servidores virtualizados, todas as máquinas virtuais conversam a mesma língua e, portanto, podem ser compreendidas ou mesmo consertadas (se necessário) da mesma maneira.

Use a nuvem a seu favor

Por mais que a virtualização dos servidores seja uma ideia antiga, já conhecida dos profissionais de TI, ela ganhou força mesmo com essa transformação digital que estamos vivendo. Parte dessa popularização se deve à melhoria dos serviços hospedados na nuvem, parte do chamado cloud computing.

Nessa modalidade digital, arquivos podem ser armazenados em servidores de terceiros por meio de acesso via internet e programas inteiros podem ser executados sem necessariamente serem baixados para uma máquina. Traduzindo: o acesso aos serviços digitais passou a ser feito de maneira remota.

Servidores virtualizados usam essa lógica para se tornar ainda mais completos. Além de possuírem recursos próprios para executar diferentes sistemas como se fossem softwares tradicionais, eles ainda podem acessar a rede para executar programas, transferir dados e até mesmo para executar protocolos complexos.

Mas o grande diferencial da nuvem está mesmo na possibilidade de fazer backups sólidos, com todas as informações da empresa sendo alocadas na nuvem. Isso significa que, mesmo que o servidor local sofra um dano, os dados estarão preservados. Da mesma forma, caso sua empresa precise mudar de sede, basta desinstalar o hardware de um local e transferi-lo para outro, tudo de maneira simples e barata.

Fortaleça sua segurança

Nada disso seria interessante para a empresa se todos os dados confiados a um servidor virtualizado não ficassem seguros, não é mesmo? Pois saiba que os servidores virtualizados contam com potentes protocolos de criptografia e proteção de firewalls, além de autorização via senhas para que as informações sensíveis dos empreendimentos só sejam acessíveis para profissionais autorizados.

Além disso, a virtualização ainda confere proteções devido à sua própria maneira de funcionamento. Pense bem: como as máquinas virtuais criadas pelo servidor são isoladas, isso significa que elas podem até trocar informações entre si, mas, caso um dos sistemas entre em pane, todos os demais seguem funcionando normalmente.

Dessa forma, é possível resolver problemas locais de maneira cirúrgica, sem prejudicar o andamento global da empresa. Além disso, o próprio isolamento entre as máquinas virtuais garante que as falhas de um sistema não se propague para outros. Em uma comparação simples, é como se evitássemos que um vírus que infectou o sistema de gestão e-mails consiga alcançar o servidor onde são feitos os backups da empresa.

Com os servidores virtualizados, seu negócio automaticamente está muito mais perto de se beneficiar das transformações digitais. Quer aprender mais sobre esse fenômeno? Leia nosso post sobre os 6 benefícios da transformação digital para sua empresa!

 
 

Sobre o autor

SONDA

A SONDA, maior companhia latino-americana de soluções e serviços de tecnologia, atua em 10 países com mais de 22 mil colaboradores e 5 mil clientes ativos. Em parceria com seus clientes, a SONDA acredita que com o uso de soluções tecnológicas é possível transformar seus negócios, permitindo conquistar eficiência e vantagem competitiva. Entendemos do seu negócio e sabemos fazer acontecer, contando com uma equipe altamente capacitada. Para mais informações, acesse www.sonda.com/br.

Deixar comentário.

Share This
Navegação